Pesquisar este blog

Tradutor

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Sobre o julgar as outras mães...



O problema não é você julgar a mãe que está agindo de uma maneira que você considera inadequada, pense dela o que quiser. O problema é você acreditar no seu julgamento e tomá-lo como verdade. É achar que você sabe do que está falando. É esquecer que seus pensamentos e opiniões são seus e são somente pensamentos e opiniões. Não, você não sabe nada da vida daquela mulher. Você não sabe quantas horas ela dormiu, quantas vezes chorou sozinha de medo e cansaço, quantas vezes se sentiu completamente incompetente e falha. Não faz ideia se ela tem rede de apoio, se tem quem olhe a criança pra que ela possa olhar pra si. Você não sabe o que é ser ela. Então não, você não pode saber como agiria se estivesse naquela situação porque jamais as variáveis serão iguais. E não importa se você já criou 357 filhos ou se educou todos os seus sobrinhos. Ela é única e muito, muito diferente de você. Por isso, queridos e queridas, antes de apontar seu dedinho para uma mãe ou falar que ela está certa ou errada, lembre que suas fantasias são suas, suas verdades são suas e não podem ser impostas a quem quer que seja. Sua intenção é ajudar? Então se cale e escute. Ouvir faz milagres. Quer aconselhar? Pergunte a ela se quer o seu conselho. Mas lembre que as respostas para a vida dela não estão dentro de você. 
Respeite a história que você desconhece. Respeite a complexidade da vida. Julgue a vontade, mas lembre que seu julgamento diz mais sobre você, suas crenças e convicções, que sobre o outro. 
Quer um mundo melhor? Ouça mais que fale. Ouça de coração, ouvidos e alma. Vai te fazer um bem danado. E a nós, mães, também.
Brigada. De nada.

Texto: Elisama Santos
Imagem: Google 

sábado, 23 de junho de 2018

Mãe sempre fica...




Mãe é quem fica. Depois que todos vão. Depois que a luz apaga. Depois que todos dormem. Mãe fica.

Às vezes não fica em presença física. Mas mãe sempre fica. Uma vez que você tenha um filho, nunca mais seu coração estará inteiramente onde você estiver. Uma parte sempre fica.

Fica neles. Se eles comeram. Se dormiram na hora certa. Se brincaram como deveriam. Se a professora da escola é gentil. Se o amiguinho parou de bater. Se o pai lembrou de dar o remédio.

Mãe fica. Fica entalada no escorregador do espaço kids, pra brincar com a cria. Fica espremida no canto da cama de madrugada pra se certificar que a tosse melhorou. Fica com o resto da comida do filho, pra não perder mais tempo cozinhando.

É quando a gente fica que nasce a mãe. Na presença inteira. No olhar atento. Nos braços que embalam. No colo que acolhe.

Mãe é quem fica. Quando o chão some sob os pés. Quando todo mundo vai embora. Quando as certezas se desfazem. Mãe fica.

Mãe é a teimosia do amor, que insiste em permanecer e ocupar todos os cantos. É caminho de cura. Nada jamais será mais transformador do que amar um filho. E nada jamais será mais fortalecedor que ser amado por uma mãe.

É porque a mãe fica, que o filho vai. E no filho que vai, sempre fica um pouco da mãe : em um jeito peculiar de dobrar as roupas. Na mania de empilhar a louça só do lado esquerdo da pia. No hábito de sempre avisar que está entrando no banho. Na compaixão pelos outros. No olhar sensível. Na força pra lutar.

No coração do filho, mãe fica.

Texto escrito por Bruna Estrela
Imagem: Google

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Se na jornada da vida...


Se na jornada da vida um homem consegue encontrar um amigo sábio e inteligente que é bondoso e tem autocontrole, que ele vá com aquele viajante; e em alegria e lembranças, que eles superem os perigos da viagem.

Mas, se na jornada da vida um homem não consegue encontrar um amigo sábio e inteligente que é bondoso e tem autocontrole, que ele viaje sozinho, como um rei que deixou seu país, ou como um grandioso elefante sozinho na floresta.

Dhammapada
imagemdaqui


 

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Quer conhecer a Apometria?



Olá amigos!

Me diz uma coisa...
Você anda triste, sentindo que não tem energia pra nada, sem ânimo, com a vibração baixa...
Pois é...talvez a sua energia esteja sendo sugada! Existem espíritos que sugam a nossa energia vital.
Influenciam nossos pensamentos e emoções. 
Talvez isso que você esteja sentindo nem seja seu! Já parou pra pensar?

Pois é amigos...
Que tal fazermos algo a respeito?
Te convido a conhecer a APOMETRIA 
A Apometria é uma técnica terapêutica criada pelo médico Dr. José Lacerda, cujo objetivo é tratar desequilíbrios espirituais, mais conhecidos como transtornos psicológicos ou seja, dores da alma.
A Andresa Molina, do Espaço Humanidade que entende tudo a respeito, está oferecendo um curso online sobre a Técnica! 
Você pode fazer sem sair de casa! Pensa que Beleza! 

Crescer espiritualmente, fazer uma limpeza energética, entender todo o processo, se reorganizar...
Emitir uma energia mais limpa, atrair pessoas e situações positivas! Quem não quer isso?
Então, que tal tomar uma atitude agora? hã?

Quer conhecer mais sobre o curso? 

Clique AQUI

E vida Nova! Você merece! 


terça-feira, 19 de junho de 2018

O problema do apego...


"Tudo se move, nada é estático.
E quando você se apega a alguma coisa, perde a realidade. 
Apegar é o problema, pois a realidade muda e você não flui com ela."

Osho
imagemdaqui




terça-feira, 12 de junho de 2018

Namore e Enamore-se



Feliz dia dos Namorados! 

quarta-feira, 6 de junho de 2018

A Amizade Madura...



A amizade madura é bem diferente daquela que eu imaginava anos atrás. Eu, na minha ingenuidade, pensava que amizade era estar sempre próximo, falar com frequência, dividir todas as estações. E que surpresa boa foi descobrir que não é necessariamente assim! 

 A amizade madura, por vezes, é justamente o oposto. Ela é livre de cobranças, não tem o peso das obrigações da vida

A amizade madura escuta “já te ligo, não posso falar agora” e a ligação é retomada 9 dias depois. A amizade madura mantém contato diário ou some por anos. Ela pode estar no reencontro inesperado “nossa, que saudades, casei, tive filhos e você?” 

A amizade madura sabe que há épocas na vida onde você dá, dá, dá, e outras onde você recebe, recebe, recebe. Mas que no final das contas, na longa jornada, a balança se alinha. Porque a amizade madura se entende. No consolo, na risada, na ausência, no abraço, no puxão de orelha. 

Amizade madura é gostosa, fácil de levar. A amizade madura está no “Pô, que sacanagem, por que você fez isso?” E também no “Desculpa, pisei na bola”. 

A amizade madura pode perdoar instantaneamente ou precisar de alguns anos para sarar. 
A amizade madura mora na mensagem depois de tempos sem se falar: “Ei, sonhei com você, tá tudo bem?” 
A amizade madura respeita as diferentes fases da vida. Há amigos com filhos, amigos solteiros, amigos focados na carreira. 
A amizade madura é aquela que revive recordações cada vez que se encontram: “Lembra aquela vez quando a gente…?” E as risadas rolam soltas e viram lágrimas de riso. 
A amizade madura pode ser reservada, mas pode atingir níveis astronômicos de intimidade: “Lembra quando fiquei sem grana até pra comprar pão?” 
A amizade madura se entrelaça na sua história, se mistura com sua essência. É especial porque é a mais livre dos arbítrios. É escolher manter no coração alguém que se não fosse pela amizade, seria apenas mais um estranho destes que a gente vê no cruzamento. 
Sim, a amizade madura é uma escolha, sem interesses, sem segundas intenções ou lenga lenga. É uma decisão nossa, íntima. E é isso que faz dela tão forte que nem o tempo, nem a distância, e nem as curvas da vida conseguem apagar.”

 Texto de Rafaela Carvalho
 Imagem: Google
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...