Pesquisar este blog

Tradutor

sábado, 18 de agosto de 2018

Como me tornei um guerreiro...



Houve um tempo em que fugia do medo
então o medo me controlava.
Até que aprendi a segurar o medo como um recém-nascido.
ouvi-lo, mas não ceder.
Honra-lo, mas não o adorar.
O medo não podia mais me impedir.
Eu entrei com coragem na tempestade.
Ainda tenho medo
mas ele não me tem.

Houve um tempo em que 
eu tinha vergonha de quem eu era.
Eu convidei a vergonha para o meu coração.
Eu a deixei queimar.
Ela me disse: "Estou apenas tentando
proteger sua vulnerabilidade ".
Eu agradeci à vergonha,
e entrei na vida de qualquer maneira,
sem vergonha, com a vergonha como minha amante.

Houve um tempo em que tive muita tristeza
enterrada bem no fundo.
Eu a convidei para sair e brincar.
Eu chorei oceanos. 
Os meus canais lacrimais estavam secos.
E eu encontrei a alegria ali mesmo.
Bem no centro da minha tristeza.
Foi o desgosto que me ensinou a amar.

Houve um tempo em que tinha ansiedade.
Uma mente que não parava.
Pensamentos que não silenciavam.
Então parei de tentar silenciá-los.
E eu larguei da mente
fui para a terra,
para a lama.
Onde fui abraçado fortemente 
como uma árvore, inabalável, segura.

Houve um tempo em que a raiva queimou nas profundezas.
Eu chamei a raiva para a luz de mim mesmo.
Eu senti seu poder chocante.
Eu deixei meu coração bater e meu sangue ferver.
Escutei, finalmente.
E ela gritou: "Respeite-se ferozmente agora!".
"Fale a sua verdade com paixão!"
"Diga não quando você quer dizer não!"
"Ande o seu caminho com coragem!"
"Que ninguém fale por você!"
A raiva se tornou uma amiga sincera.
Um guia sincero
Uma linda criança selvagem.

Houve um tempo em que a solidão cortou profundamente.
Eu tentei me distrair e me entorpecer.
Corri para pessoas, lugares e coisas.
Até fingi que estava "feliz".
Mas logo eu não pude correr mais.
E eu caí no coração da solidão.
E eu morri e renasci
em uma requintada solitude e quietude.
Isso me conectou a todas as coisas.
Então eu não estava em solidão, mas sozinho com toda a vida.
Meu coração Um com todos os outros corações.

Houve um tempo em que fugia de sentimentos difíceis.
Agora, eles são meus conselheiros, confidentes, amigos,
e todos eles têm um lar em mim
e todos eles pertencem e têm dignidade.
Eu sou sensível, suave, frágil
meus braços envolveram todos os meus filhos internos.
E na minha sensibilidade, poder.
Na minha fragilidade, uma presença inabalável.

Nas profundezas das minhas feridas
no que eu tinha chamado de "escuridão",
Eu encontrei uma luz ardente
Isso me guia agora em batalha.

Eu me tornei um guerreiro
quando me virei para mim mesmo.

E comecei a ouvir.

Texto: Jeff FosterI
Imagem: Google 

sábado, 11 de agosto de 2018

Ser pai...


Eu não acho que uma pessoa que não tenha filhos seja incompleta.
Mas eu acredito que um pai se sinta pleno, se comparado com ele mesmo antes de ter filho.

Um filho é uma chance que todos nós temos de encostar na eternidade. De viver além da gente mesmo. Quando viramos noites e trocamos fraldas e levamos na creche e tentamos alimentar e dar banho e ajudar na lição, estamos encostando na eternidade. Estamos depositando esperança em um mundo além do nosso.

As pessoas vão olhar pros nossos filhos e dizer: “tem o sorriso do pai”. Ou “Eu conheço esse jeito de falar”. Ou “Esse olhar me lembra alguém”. É a gente. É a gente daqui há dez, vinte, cinquenta anos. É a gente, daqui a 100 anos, nos nossos netos. Eles aprendendo a andar, a desenhar, a escrever. É a gente ali. Nos bisnetos, tataranetos, “esse olhar me lembra alguém”, “de onde esse garoto tira tanta força de vontade?”.

É a gente. E as noites acordado, as fraldas, os banhos, o esforço e a dedicação. São as manhãs acordando do lado da criança, como se o sol estivesse do seu lado. Você se sente abraçado pela vida, o homem mais sortudo do universo. Você sente vontade de retribuir. Escrever um livro, plantar uma árvore. Inspirar outras pessoas a serem melhores.

Todo pai é uma inspiração. Todo pai é um otimista. Um ser cheio de esperança. Levando nos ombros um mundo melhor. As coisas vão ser melhores. Tudo vai melhorar. Essa é a nossa chance.

É a gente, encostando na eternidade.


Marcos Piangers
imagens google


Feliz dia dos Pais 
A todos pais, que mesmo diante de qualquer circunstância, se fazem presente na vida dos filhos...

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

As 5 regras para dominar a RAIVA




Vamos explicar cinco regras simples a respeito da raiva. Procure meditar nesses cinco aspectos para evitar que a raiva te domine:

A 1ª regra é bem simples e ela diz o seguinte: “a raiva bloqueia teu raciocínio”. Isso significa que os momentos em que explodimos de raiva são os piores para se tomar decisões, posto que as fortes emoções restringem nossa razão e nosso pensamento. Sempre que você fica com raiva e explode em intenso fervor emocional, você pode fazer escolhas que depois farão você se arrepender, e que podem até te prejudicar. Muitas vezes, tomados que estamos pela fúria, escolhemos, dizemos ou fazemos coisas que depois, na tranquilidade, pensamos “se estivesse calmo, não faria aquilo”. A trajetória de uma vida inteira pode ser modificada e destruída em apenas alguns minutos de ira.

A 2ª regra diz o seguinte: “Quem está nervoso muitas vezes deseja que outros fiquem como ele”, ou seja, todos aqueles que estão num estado de tensão, nervosismo e que vivem nas trevas da raiva e irritação compulsiva desejam que outras pessoas compartilhem do mesmo sentimento e descontrole. Quem está na escuridão quer que todos estejam na escuridão, pois assim eles sentem que há muitas pessoas como ele, e não se sente tão mal caso fossem os únicos. Apagar a luz dos outros é a melhor maneira de não enxergar sua própria escuridão. Em outras palavras, quem está na lama, quase sempre quer trazer os outros para a lama, pois assim eles têm “companhia”. O raivoso deseja ter alguém com quem compartilhar sua raiva, pois a raiva sozinha perde seu “combustível”, e muito frequentemente se transforma em depressão. Toda raiva não compartilha com outros acaba tornando o raivoso depressivo, com sentimentos de carência e vazio.

A 3ª regra é a seguinte: “Não dê poder a quem não tem”. Quando você se deixa levar pelos berros e deixa a raiva te dominar, você está dando poder àquela pessoa e permitindo a ela te desestabilizar. Mas esse poder de desorganização emocional é a própria pessoa que confere ao outro. No momento em que você pára de dar poder a quem não tem poder, você não mais se envolve pelas ofensas e agressões alheias e passa a ser mais neutro e menos vulnerável.

A 4ª regra diz algo muito importante: “A raiva prejudica a nós mesmos, e não ao outro”. Há uma máxima de sabedoria que diz o seguinte: “Ficar com raiva de outrem é o mesmo que tomar veneno e esperar que o outro morra”. O maior prejudicado com os acessos de raiva ou com a raiva prolongada somos nós mesmos. A ira pode gerar doenças emocionais e até físicas, em casos extremos, pode instalar quadros depressivos numa pessoa. A raiva contida é ainda mais prejudicial, pois vai aos poucos minando as nossas estruturas psicológicas. Portanto, tua raiva não prejudica o outro, ela afeta, em primeiro lugar, o próprio raivoso.

E por fim, a 5ª regra também é simples, mas pode parecer difícil de ser aplicada para algumas pessoas: “Não responda a uma ofensa, apenas silencie”. Quando, por exemplo, algum parente está envolto pela ira e começa a agredir a todos, a melhor resposta é o silêncio. Por que o silêncio? Pois é apenas no silêncio que aquela pessoa conseguirá ouvir a si mesma. Ela passará a ouvir seus próprios gritos, suas ofensas, suas agressões e terá a chance de se perceber, se sentir e se tocar do mal que está emanando. A quinta regra diz: apenas silencie e deixe a pessoa ouvir a si mesma. No momento em que não correspondemos a raiva, a pessoa perde sua energia, fica sozinha e passa a perceber a si mesma, e assim, ela pode enxergar-se como é. Dessa forma, a chance dela se ver e procurar se modificar é bem maior.”

Texto de Hugo Lapa
Imagem: Google 

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Pra hoje...



E feito uma prece, que a gente repita:
nada e ninguém poderá tirar a Paz que carregamos no peito;
coisa alguma vale o esforço da nossa Alma 
se não for para o nosso bem;
nenhuma força contrária empurrará nossa vontade 
para a contramão daquilo que a gente quer;
nenhuma palavra negativa soará mais alto 
do que dita nosso coração;
tempestade alguma impedirá a Fé nos voos mais bonitos,
pois se a gente coloca Coragem no impulso, 
a Vida direciona o vento.

Inês Seibert
Imagem:Google

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Sobre Egos e Medos



A principal função do nosso ego é nos manter protegidos e seguros, custe o que custar.
 
Então é bastante natural que alguns eventos ou situações que vivemos em nossas vidas deixem o nosso ego em alerta. 
 
Porque lá no fundo ele pensa assim:
"Tem alguma coisa diferente aqui, algo que não conheço ou que até conheço, mas não tenho uma boa lembrança, não sei onde isso vai dar, não sei se é bom ou ruim…é melhor eu me garantir. É melhor eu me proteger."
 
E uma forma bastante eficiente que o ego usa para se proteger é através do medo.
 
Primeiro para nos deixar fisicamente atentos e ligados, e segundo para fazer a nossa mente criar todos os cenários possíveis para que evitemos qualquer risco ou perigo.
 
A nossa mente vira um grande computador, criando cenários e calculando tudo o que pode dar errado.
 
Imagino que você sabe bem o que estou falando, quem nunca passou uma noite em claro com uma preocupação na cabeça, pensando e repensando em tudo o que podia acontecer?
 
Só que isso cansa, desgasta e estressa.
E pior, tira a nossa autoconfiança.
 
Então como lidar e reduzir os nossos medos?
 
Ou melhor, como usá-lo a nosso favor, como direcionar essa energia de forma produtiva em nossas vidas?
 
Você precisa seguir duas etapas fundamentais.
 
A primeira é identificar e dar nome para os seus medos.

Seus medos têm que estar claros para você, escritos em papel, conscientes e definidos de forma bem objetiva.
 
Pode parecer bobo isso, mas é muito normal nós termos medo de sentir medo, e para que isso não aconteça nós negamos que estamos com medo.
 
O famoso: “não…. tá tudo bem! Tá tudo ótimo, estou super feliz e confiante.” Quando na verdade você está cheio de medos negados.
 
Fugimos de olhar para os nossos medos, de olhá-lo nos olhos e dizer: “Eu te reconheço, você está aqui e não vou te ignorar.” 
 
Quando você escreve os seus medos no papel e torna-os vivos, você já deu um grande passo para não ser derrubado por eles porque agora seus medos não estão mais ocultos e podem ser trabalhados.
 
Você está desperto, atento e consciente em relação aos seus medos.
 
Existe um ditado do Aikido que diz o seguinte:
“Aquilo que é conhecido é trabalhável. Aquilo que é desconhecido pode nos derrubar.”
 
Então tornando seus medos conscientes você pode seguir para a segunda etapa: trabalhar os seus medos.
 
E aqui eu quero que você preste muita atenção no que eu vou dizer!
 
Não só para esse momento da sua vida, mas para toda a sua vida.
 
Essa é uma daquelas verdades que quando compreendida e vivida muda o jogo, mesmo!
 
A origem de todo e qualquer medo é a ignorância.
 
A ignorância sobre si mesmo ou a ignorância sobre o mundo que habitamos.
 
A ignorância é a raiz de todo medo. 

Cortando essa raiz o medo não cresce e cumpre a sua função inicial de nos deixar alertas e despertos para algo.
 
Então o antídoto para qualquer medo é o autoconhecimento e/ou o conhecimento.
 
O autoconhecimento é o antídoto para a sua ignorância a respeito do seu mundo interior e o conhecimento é o antídoto para a ignorância sobre o seu mundo exterior.
 
Então a próxima vez que você sentir medo pense o seguinte:
 
“Estou com medo por que existe algo que eu não conheço sobre mim mesmo e/ou sobre o mundo que eu habito. Esse é um convite da vida para que eu busque essa evolução pessoal.”
 
Coloque esse tipo de pensamento, comportamento e atitude em prática na sua vida sempre que identificar um medo e eu tenho certeza que muita coisa vai mudar para melhor na sua vida.
 
Porque os seus medos vão se desfazendo na medida em que você mergulhar cada vez mais em si mesmo e na busca ativa por informação e conhecimento.
 
É uma jornada, um processo, que você segue pouco a pouco, camada a camada, medo a medo; e aos poucos com presença e com paciência você vai diluindo os seus medos até eles sumirem.
 
E aqui fica mais uma dica:
 
Acostume-se a buscar conhecimento e informação sobre o mundo e sobre si mesmo. Torne isso uma rotina, um processo automático e prazeroso.
 
Porque o medo é um despertador da vida que nos chama para vivermos com mais presença e engajamento. Acorde com esse despertador o quanto antes ou o sono acaba virando pesadelo.
 
Bruno Giménez 

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Existe uma religião que...




Existe uma religião invisível...sem templos edificados, sem homens consagrados, sem ritos à cumprir...
Existe uma religião marginal...assim mesmo, à margem do trivial, à margem do aceitável, na sarjeta das devoções aplaudidas...
Uma religião sem dogmas, sem credo nem cartilha.
Religião dessacralizada, maltrapilha...
Fé que escorre na chuva, no pranto, na rua...
Fé que envolve minha alma e tua.
Que pia nos telhados, sopra e desmancha o penteado, se esgueira feito gato, nos olhando...
Ressabiado.
Fé que acolhe sem perguntas, sem obsessão pelo pecado.
Que brota da terra, perfumando e quebrando os ódios...
Que é toda só amor, sem culpas, sem tribunais.
Fé que quem descobre ter, parece ter endoidado...
Vê Deus em tudo, em todos, em cada centímetro desse traçado...
Esse traçado tão longo, tão puro e tão desvirtuado...
Que é a vida, esse caminho sagrado.
Que não se trilha sozinho...
E se tem que ser compartilhado, que seja na paz.
Religião sem prosélitos, flor que brota sem se aguar.
Fruto do bem divino, estendida a quem queira pegar.
Religião sem santo...
Sua doutrina aprendi, cantando no hinários dos grilos...
Nos “ais” da jornada de gente cansada...
Que ainda se arrisca a perceber encanto!
Na mão que afaga, ungida de compaixão...
É o cuidar, o simples cuidar, é essa a tal religião.

 Gi Stadnicki

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Pessoas mais seletivas evitam aborrecimentos futuros ...




É preciso selecionar as amizades a serem mantidas, os sentimentos a serem guardados, os ambientes onde nos demorarmos, as lutas que valem a pena serem travadas, os amores que merecem ser nutridos. Selecione, porque ninguém poderá fazer isso por você.

Quanto mais o tempo passa, quanto mais maturidade tivermos, estaremos menos dispostos a deixar por perto pessoas e coisas inúteis. Temos mania de carregar conosco, por tempo demais, bagagens que não são nossas. Temos certa tendência a aturar, além da conta, gente que não soma em nada, não acrescenta, não gosta e nem ama. É preciso selecionar.

É preciso selecionar as amizades. Podemos até ser cordiais com as pessoas, mas isso não deve significar que todas elas poderão caminhar junto conosco. Tem gente que emperra, não avança, nem possui a mínima noção de coleguismo. Por que, afinal, manter por perto quem nem se lembra de que existimos, quem não é capaz de perceber quando estamos bem ou não, quem não olha além de si mesmo?

Prof Marcel Camargo
Imagem: Google 

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Sobre o julgar as outras mães...



O problema não é você julgar a mãe que está agindo de uma maneira que você considera inadequada, pense dela o que quiser. O problema é você acreditar no seu julgamento e tomá-lo como verdade. É achar que você sabe do que está falando. É esquecer que seus pensamentos e opiniões são seus e são somente pensamentos e opiniões. Não, você não sabe nada da vida daquela mulher. Você não sabe quantas horas ela dormiu, quantas vezes chorou sozinha de medo e cansaço, quantas vezes se sentiu completamente incompetente e falha. Não faz ideia se ela tem rede de apoio, se tem quem olhe a criança pra que ela possa olhar pra si. Você não sabe o que é ser ela. Então não, você não pode saber como agiria se estivesse naquela situação porque jamais as variáveis serão iguais. E não importa se você já criou 357 filhos ou se educou todos os seus sobrinhos. Ela é única e muito, muito diferente de você. Por isso, queridos e queridas, antes de apontar seu dedinho para uma mãe ou falar que ela está certa ou errada, lembre que suas fantasias são suas, suas verdades são suas e não podem ser impostas a quem quer que seja. Sua intenção é ajudar? Então se cale e escute. Ouvir faz milagres. Quer aconselhar? Pergunte a ela se quer o seu conselho. Mas lembre que as respostas para a vida dela não estão dentro de você. 
Respeite a história que você desconhece. Respeite a complexidade da vida. Julgue a vontade, mas lembre que seu julgamento diz mais sobre você, suas crenças e convicções, que sobre o outro. 
Quer um mundo melhor? Ouça mais que fale. Ouça de coração, ouvidos e alma. Vai te fazer um bem danado. E a nós, mães, também.
Brigada. De nada.

Texto: Elisama Santos
Imagem: Google 

sábado, 23 de junho de 2018

Mãe sempre fica...




Mãe é quem fica. Depois que todos vão. Depois que a luz apaga. Depois que todos dormem. Mãe fica.

Às vezes não fica em presença física. Mas mãe sempre fica. Uma vez que você tenha um filho, nunca mais seu coração estará inteiramente onde você estiver. Uma parte sempre fica.

Fica neles. Se eles comeram. Se dormiram na hora certa. Se brincaram como deveriam. Se a professora da escola é gentil. Se o amiguinho parou de bater. Se o pai lembrou de dar o remédio.

Mãe fica. Fica entalada no escorregador do espaço kids, pra brincar com a cria. Fica espremida no canto da cama de madrugada pra se certificar que a tosse melhorou. Fica com o resto da comida do filho, pra não perder mais tempo cozinhando.

É quando a gente fica que nasce a mãe. Na presença inteira. No olhar atento. Nos braços que embalam. No colo que acolhe.

Mãe é quem fica. Quando o chão some sob os pés. Quando todo mundo vai embora. Quando as certezas se desfazem. Mãe fica.

Mãe é a teimosia do amor, que insiste em permanecer e ocupar todos os cantos. É caminho de cura. Nada jamais será mais transformador do que amar um filho. E nada jamais será mais fortalecedor que ser amado por uma mãe.

É porque a mãe fica, que o filho vai. E no filho que vai, sempre fica um pouco da mãe : em um jeito peculiar de dobrar as roupas. Na mania de empilhar a louça só do lado esquerdo da pia. No hábito de sempre avisar que está entrando no banho. Na compaixão pelos outros. No olhar sensível. Na força pra lutar.

No coração do filho, mãe fica.

Texto escrito por Bruna Estrela
Imagem: Google

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Se na jornada da vida...


Se na jornada da vida um homem consegue encontrar um amigo sábio e inteligente que é bondoso e tem autocontrole, que ele vá com aquele viajante; e em alegria e lembranças, que eles superem os perigos da viagem.

Mas, se na jornada da vida um homem não consegue encontrar um amigo sábio e inteligente que é bondoso e tem autocontrole, que ele viaje sozinho, como um rei que deixou seu país, ou como um grandioso elefante sozinho na floresta.

Dhammapada
imagemdaqui


 

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Quer conhecer a Apometria?



Olá amigos!

Me diz uma coisa...
Você anda triste, sentindo que não tem energia pra nada, sem ânimo, com a vibração baixa...
Pois é...talvez a sua energia esteja sendo sugada! Existem espíritos que sugam a nossa energia vital.
Influenciam nossos pensamentos e emoções. 
Talvez isso que você esteja sentindo nem seja seu! Já parou pra pensar?

Pois é amigos...
Que tal fazermos algo a respeito?
Te convido a conhecer a APOMETRIA 
A Apometria é uma técnica terapêutica criada pelo médico Dr. José Lacerda, cujo objetivo é tratar desequilíbrios espirituais, mais conhecidos como transtornos psicológicos ou seja, dores da alma.
A Andresa Molina, do Espaço Humanidade que entende tudo a respeito, está oferecendo um curso online sobre a Técnica! 
Você pode fazer sem sair de casa! Pensa que Beleza! 

Crescer espiritualmente, fazer uma limpeza energética, entender todo o processo, se reorganizar...
Emitir uma energia mais limpa, atrair pessoas e situações positivas! Quem não quer isso?
Então, que tal tomar uma atitude agora? hã?

Quer conhecer mais sobre o curso? 

Clique AQUI

E vida Nova! Você merece! 


terça-feira, 19 de junho de 2018

O problema do apego...


"Tudo se move, nada é estático.
E quando você se apega a alguma coisa, perde a realidade. 
Apegar é o problema, pois a realidade muda e você não flui com ela."

Osho
imagemdaqui




terça-feira, 12 de junho de 2018

Namore e Enamore-se



Feliz dia dos Namorados! 

quarta-feira, 6 de junho de 2018

A Amizade Madura...



A amizade madura é bem diferente daquela que eu imaginava anos atrás. Eu, na minha ingenuidade, pensava que amizade era estar sempre próximo, falar com frequência, dividir todas as estações. E que surpresa boa foi descobrir que não é necessariamente assim! 

 A amizade madura, por vezes, é justamente o oposto. Ela é livre de cobranças, não tem o peso das obrigações da vida

A amizade madura escuta “já te ligo, não posso falar agora” e a ligação é retomada 9 dias depois. A amizade madura mantém contato diário ou some por anos. Ela pode estar no reencontro inesperado “nossa, que saudades, casei, tive filhos e você?” 

A amizade madura sabe que há épocas na vida onde você dá, dá, dá, e outras onde você recebe, recebe, recebe. Mas que no final das contas, na longa jornada, a balança se alinha. Porque a amizade madura se entende. No consolo, na risada, na ausência, no abraço, no puxão de orelha. 

Amizade madura é gostosa, fácil de levar. A amizade madura está no “Pô, que sacanagem, por que você fez isso?” E também no “Desculpa, pisei na bola”. 

A amizade madura pode perdoar instantaneamente ou precisar de alguns anos para sarar. 
A amizade madura mora na mensagem depois de tempos sem se falar: “Ei, sonhei com você, tá tudo bem?” 
A amizade madura respeita as diferentes fases da vida. Há amigos com filhos, amigos solteiros, amigos focados na carreira. 
A amizade madura é aquela que revive recordações cada vez que se encontram: “Lembra aquela vez quando a gente…?” E as risadas rolam soltas e viram lágrimas de riso. 
A amizade madura pode ser reservada, mas pode atingir níveis astronômicos de intimidade: “Lembra quando fiquei sem grana até pra comprar pão?” 
A amizade madura se entrelaça na sua história, se mistura com sua essência. É especial porque é a mais livre dos arbítrios. É escolher manter no coração alguém que se não fosse pela amizade, seria apenas mais um estranho destes que a gente vê no cruzamento. 
Sim, a amizade madura é uma escolha, sem interesses, sem segundas intenções ou lenga lenga. É uma decisão nossa, íntima. E é isso que faz dela tão forte que nem o tempo, nem a distância, e nem as curvas da vida conseguem apagar.”

 Texto de Rafaela Carvalho
 Imagem: Google

terça-feira, 29 de maio de 2018

Sobre perder os filhos...



Hoje acordei com uma mensagem do dono da escolinha da Nara contando que um coleguinha dela foi diagnosticado com um tumor no cérebro e que será operado nesta quinta-feira. Depois de alguns episódios de forte dor de cabeça e vômitos, que o pediatra acreditava ser gastroenterite, resolveram investigar mais a fundo e descobriram o tumor. Felizmente está num lugar de fácil acesso e estamos todos vibrando para que tudo ocorra bem.

A primeira coisa que me veio à mente foi: preciso enviar amor incondicional a esta família. Em seguida, me lembrei da Elainne Ourives e do que ela fala sobre a cura estar na frequência vibracional da Alegria. Foi com este conhecimento que ela proporcionou a cura de seu filho, que tinha um problema sério de plaquetas, não podia ter hemorragias e passou mais de um ano (aos 5 anos) sendo internado constantemente. Até que ela decidiu "inventar" que ele estava curado e viver em congruência com esta realidade, proporcionando passeios e situações que o deixavam feliz o máximo de tempo. Ensinou-o a praticar a gratidão, a abençoar seus remédios, a declarar amor próprio constantemente. E, sim, ele foi curado!

Depois disso, acordei a Nara e, no lugar de ficar estressada com nosso atraso matinal recorrente, agradeci por tê-la em meus braços, levei-a à sala com ela meio adormecida e coloquei o vinil do Vila Sésamo para dançarmos enquanto o pai tomava banho. Ela foi acordando animada e eu só podia pensar na mãe do coleguinha dela. O que é um atraso diante do milagre de estarmos vivos, juntos e felizes?

Me emocionei ao lembrar do post de ontem da Yvonne Laborda, em que ela contou sobre uma mãe que descobriu que o filho de 6 anos tinha poucas semanas de vida e que tinha decidido que dormiria abraçada a ele todos os dias, que lhe daria tudo o que mais gostasse de comer e que, se pudesse sair do hospital, levaria seu filho onde ele quisesse.

Precisamos mesmo esperar notícias como estas para despertar nosso amor incondicional e ser gratos pela vida? Não sabemos o dia de amanhã e perdemos tanto tempo e energia em detalhes que não importam! Que possamos ser gratos e que possamos conectar com o amor verdadeiro e demonstrá-lo a nossos filhos.

Que possamos vibrar na frequência da alegria, mesmo tendo que viver desafios diários. Hoje estou muito grata por estar aqui e ter minha filha comigo. O mês de maio trouxe muitos desafios, minha filha extraiu dois dentes há 2 semanas e hoje estaria operando para extrair adenoide e amígdalas (tivemos que adiar por uma gripe forte que teve). Foram inúmeras consultas a médicos, algumas bastante traumáticas. Mas hoje, mais do que nunca, só tenho do que agradecer. Estamos bem, estamos vivos e estamos juntos! E é isso que importa, afinal.

E você, já agradeceu hoje estar com seus filhos?


Texto de Canto Maternar 

Lindo e Reflexivo...

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Vá aos encontros felizes!



VÁ AOS ENCONTROS FELIZES!

Pode ser complicado, difícil e caro. 
Pode ser uma viagem longa. Vá!
Tem festa de 85 anos da tia?Vá!
Aniversário do filho do amigo?Vá!
Encontro de 20 anos da formatura? Vá!
Amigo secreto, casamento do primo?Vá!
Pegue o carro, o ônibus, o avião... pegue uma  carona! E vá!
Fica no hotel, na tia, na pensão! Vá! 
Parcela a passagem! 
Dê um jeito, mas vá !

SABE POR QUÊ? 

Porque nos encontros tristes você irá.
Quando alguém morre todos vão. 
Por protocolo, por obrigação ou por amor (e dor). 
As pessoas vão, se esforçam pra ir aos enterros...
Pedem folga, cancelam a reunião, transferem as entregas....
E todos se reunem e se abraçam e choram juntos. 
E é bonito isso. E é bom que seja assim !
Mas é bom que seja assim também nos momentos felizes.!
É bom estarmos junto nas comemorações, nas conquistas, nas festas que brindam a vida! 
Dando risada, relembrando histórias, deixando-nos levar pela alegria despretensiosa dos momentos bons!
Assim, vamos juntando as peças na melhor coleção que a vida tem a oferecer: 

A dos Encontros Felizes!

Texto de Mônica Moro Harger
Imagem:Google 

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Flor do dia


Alguns desafios são como atravessar um deserto. A vida se torna seca e árida. Mas, se puder lembrar que você é quem assiste o deserto, sem se identificar com ele, logo passa. Porém, ao se opor a atravessá-lo, brigando e procurando culpados pelo fato de estar no deserto, você acaba ficando mais tempo nele. O deserto representa uma oportunidade de cura das suas feridas ancestrais que chega quando você amadureceu o suficiente para merecer fechá-las. Lembre disso, respire fundo e siga em frente, agradecendo por esse divino incômodo, esse estranho presente, até que possa compreender o seu valor."
Sri Prem Baba

sábado, 12 de maio de 2018

Mãe é de graça...



É bom ter mãe quando se é criança, e também é bom quando se é adulto. Quando se é adolescente a gente pensa que viveria melhor sem ela, mas é um erro de avaliação. Mãe é bom em qualquer idade. Sem ela, ficamos órfãos de tudo, já que o mundo lá fora não é nem um pouco maternal conosco.

 O mundo não se importa se estamos desagasalhados e passando fome. Não liga se viramos a noite na rua, não dá a mínima se estamos acompanhados por maus elementos. O mundo quer defender o seu, não o nosso.
 O mundo quer que a gente torre nossa grana, que a gente compre um apartamento que vai nos deixar endividados, que a gente ande na moda, que a gente troque de carro, que a gente tenha boa aparência e estoure o cartão de crédito. Mãe também quer que a gente tenha boa aparência, mas está mais preocupada com o nosso banho, nossos dentes, nossos ouvidos, com a nossa limpeza interna: não quer que a gente se drogue, que a gente fume, que a gente beba.

O mundo nos olha superficialmente. Não detecta nossa tristeza, nosso queixo que treme, nosso abatimento. O mundo quer que sejamos lindos, magros e vitoriosos para enfeitar a ele próprio, como se fossemos objetos de decoração do planeta. O mundo não tira nossa febre, não penteia nosso cabelo, não oferece um pedaço de bolo feito em casa.

 O mundo quer nosso voto, mas não quer atender nossas necessidades. O mundo, quando não concorda com a gente, nos pune, nos rotula, nos exclui. O mundo não tem doçura, não tem paciência, não nos escuta. O mundo pergunta quantos eletrodomésticos temos em casa e qual é o nosso grau de instrução, mas não sabe nada dos nossos medos de infância, das nossas notas no colégio, de como foi duro arranjar o primeiro emprego.

 Mãe é de outro mundo. É emocionalmente incorreta: exclusivista, parcial, metida, brigona, insistente, dramática. Sofre no lugar da gente, se preocupa com detalhes e tenta adivinhar todas as nossas vontades, enquanto que o mundo nos exige eficiência máxima, seleciona os mais bem dotados e cobra caro pelo seu tempo. Mãe é de graça.

Está é uma a singela homenagem a todas as mães que pousarem por aqui...

Feliz dia das Mães! 


sexta-feira, 11 de maio de 2018

Respeite a fidelidade dos outros...



No Facebook, uma leitora elogia a sedução de minhas palavras e pede uma horinha comigo pessoalmente. Respondo que sou casado e muito feliz. Ela retruca que não há problema, que não é um impeditivo. Reforço a minha fidelidade e o quanto que não há sentido a sua insistência. Ela não desiste: propõe encontro, passa o número do celular e ainda fica provocando que dê provas de minha capacidade. Continuo direto, objetivo, seco: não tenho olhos para outra mulher. Daí ela se sente ofendida, reclama que não precisava ser grosseiro e dispensá-la. Um pouco mais e me chamaria de fresco, de tolo, de covarde. 

O que pretendo esclarecer é que nunca vou pôr em risco o amor verdadeiro de minha vida. Eu sei o quanto é raro e como foi custoso encontrá-lo. Não me esconderei em ambiguidades, não mentirei para agradar, não me envaidecerei com cantadas, não deixarei que uma estranha saiba algo que a minha mulher não sabe.

Mantenho orgulho de minha exclusividade. Ando em linha reta porque o meu coração guarda alguém em suas curvas. 

Gostaria de declarar, com todas as letras, que a minha esposa é a pessoa mais importante de meus atos, a mais especial de meus gestos, a que mais admiro em meus devaneios. É a minha melhor amiga, a minha confidente, a minha cúmplice. Só com ela eu me divirto só de conversar. Só com ela eu me alegro só de existir. Só com ela um minuto longe de casa significa meses de saudade. 

Jamais sacrificaria o que construímos. Já atravessamos momentos pungentes juntos, como o luto familiar, e não existe mau tempo que nos distancie. Somos inseparáveis na alegria e na tristeza, na doença e na saúde.  

Dói apenas de pensar em magoá-la.

Fidelidade é agradecimento. Agradeço a cada dia por ela estar comigo. E a honrarei com a minha linguagem agora e sempre.

Fabrício Carpinejar
Imagem:Google 

Existem muitos homem admiráveis no mundo...👏🏼

sexta-feira, 4 de maio de 2018

E se fosse do nosso jeito?




Criei o costume de toda semana comprar sequilho com goiabada na padaria perto daqui de casa. Comê-lo bebendo um café sem açúcar tornou-se, sem exagero, um dos momentos mais deliciosos da semana (tirando o dia da coxinha com café). Mas a goiabada me incomodava. Não necessariamente ela, mas sua pouca quantidade. Era um pingo no meio do sequilho. 

Reclamei na padaria, chamei o padeiro de casquinha e tudo mais. 

Outro dia, voltando do estágio, passei pela padaria e, pra minha sorte, disseram que havia um sequilho especial pra mim. Lá estava, o meu sonho num sequilho de um real. Quase que completamente coberto de goiabada. 

Chegando em casa, preparado o café e toda a ritualística necessária para consumir o apetecível sequilho, ocorreu que não comi nem a metade. Enjoei na segunda mordida. Doce demais, chegava a dar náuseas. 

Dia seguinte, cheguei na padaria e lá estava: outro sequilho coberto de goiabada. Me ofereceram e, por vergonha de dizer que odiei o do dia anterior, comprei. Em casa, raspei a goiabada e comi. 

O problema, o inferno, não era a goiabada nem o padeiro, era eu. Fui eu quem, amando o que amava, queria do meu jeito, sem entender que eu gostava era do jeito que era, porque se do meu jeito fosse, eu rejeitaria, enjoaria e até tentaria fazê-lo voltar a ser como era. 

Assim fazemos com as pessoas também. No início as amamos como são, depois que estão conosco começamos a criticar, tentamos mudá-las, tentamos "colocar do nosso jeito", sem saber que nosso jeito são nossas projeções, pessoas que não existem, e que se existissem, enjoaríamos delas. 

Transformamos para descartar, porque quando aquela pessoa muda, muito provavelmente quem gostávamos não está mais lá. 

Essa semana voltei a padaria, pedi o sequilho sem goiabada e mandei avisar ao padeiro que o próximo texto quem escreve é ele, provavelmente virá algo de bom, ainda que não seja doce.

Abençoados sejam meus amigos cada qual a sua maneira e o seu jeito de ser. 

Texto de Jonathan Araújo
Imagem: Google 



quinta-feira, 3 de maio de 2018

Adeus Gaspa!



Agora a pouco Luiz Gasparetto se foi...
Gratidão por tantos ensinamentos! Tantas vidas transformadas! 

“No mundo espiritual, tudo tem começo e meio. O fim só existe, para quem não percebe o recomeço. Nosso espírito é eterno.”

Feliz recomeço, Gaspa!
E Gratidão pelo seu lindo legado! 🙏🏻❤️

Hoje, quero falar da internet...




Eu quero falar da internet. 
Pra mães, especialmente. 
Bebê pendurado nos peitos, vida transformada, o celular parece a salvação. E ele já salvou a minha sanidade mental inúmeras vezes, é bem verdade. Fiz amigas lindas, aprendi um bando de coisas. De repente a gente se sente menos só. Cabe o mundo nas mãos. 

Mas aí mora a armadilha, amiga, a pior de todas, a mais perigosa. A gente vê o que o mundo quer que a gente veja. E esquece disso. E fica maluca. Todo dia tem uma descoberta científica sobre o desenvolvimento infantil, sobre os malefícios do sol, sobre o shampoo com poli não sei lá o quê que pode causar câncer. A gente segue um milhão de páginas, que vão desde a alimentação ideal ao pensamento positivo. Vê a amiga postando foto magra e sorridente com um bebê de dois meses no colo. E acha que tem que ser tudo ao mesmo tempo. Junta tudo que lê e transforma numa pessoa só, a ideal, impossível de ser. 

Tem que se exercitar, comer bem, não deixar a criança na televisão, ter um quartinho Montessoriano todo organizado e lindo, numa casa organizada e linda. E tem que colocar as cinco cores em todas as refeições da casa. Tipo todas. Malditas cinco cores.

A gente vive com uma sensação de atraso, de que está sendo passada pra trás

Uma amiga fez um curso incrível, a outra emagreceu, a outra viajou pra Paris com os filhos, e você tem a certeza que precisa fazer um curso, enquanto emagrece pra logo depois ir pra Paris. Parece que o mundo está sempre alguns passos a frente. Das nossas expectativas, das nossas angústias. E aí, o que salvava a sanidade, simplesmente nos empurra pra mais solidão, pra menos amor próprio. Opiniões explodindo a cada segundo, novidades que deixam de ser novas em menos de vinte e quatro horas. Um mundo de gente inteligente, feliz e ocupada. E a sensação de que a gente tá sempre perdendo algo. Urgência, urgência, urgência. 

Nessas horas te digo, esse mundo virtual é fake. É só um recorte da vida de verdade. Um recorte escolhido. 

Desliga esse negócio de vez em quando. Vai viver a vida offline. Vai cheirar as crias. Tomar banho de mangueira. Comer brigadeiro na panela. Dançar descabelada no meio da sala. Vai receber abraço, beijar na boca, fazer sexo. Vai sentir cheiro de livro e de bolo quente. Vai viver a vida que não cabe na mão, que precisa do corpo inteiro. Porque quando a gente consegue estar inteira, a sensação de que tá tudo errado vai embora. Se a gente se comparar com essa figura Frankenstein que é soma de inúmeros recortes da vida alheia, estaremos sempre atrasadas. Sempre. Pra trás. Incompetentes.

A internet pode ser incrível, mas já dizia minha avó, a diferença entre o remédio e o veneno tá na dose. Use com moderação.

Texto: Elisama Santos
Imagem:Google

Meditar para bem ficar


Imaginar descendo do Centro do Cósmico uma LUZ BRANCA e entrar em contato com a respiração. Deixe os pensamentos vir e ir, vai deixando esse MANTO DE LUZ BRANCA te envolvendo desde a cabeça até os pés, uma Energia Branca Brilhante, plena de partículas de LUZ CÓSMICA.

Sinta-se envolvida nessa LUZ. Ela se fecha nos seus pés e na sua cabeça. Essa LUZ entra no seu corpo, na circulação sanguínea e expiração, ela se expande toda. Expande seu corpo com a expiração, e na inspiração ela se contrai.

Presta atenção na respiração, ela vai aderindo na sua pele e se expandindo na respiração. Essa LUZ permeia todos os órgãos e conforme inspira ela entra dentro do corpo e você está no Campo de proteção. Essa é a LUZ DO AMOR, ao mesmo tempo ela se torna invisível e invencível à tudo que não provém da LUZ DO AMOR... Sinta-se na Paz e totalmente protegida com essa força do Amor... Respire profundamente e abra os olhos...

A LUZ que você tanto procura se tornou minuciosamente ativada. Você limpou os restos do campo de pouso de sua alma e do EU superior. Você já anunciou que todo o conteúdo molecular do seu ser já é LUZ.

Mantenha-se em Luz o dia todo, sinta essa energia que é real. A Luz fica ao seu redor num raio de um metro. Então, hoje chegue onde chegar com a sua Luz.

Assim como seu dia está sendo, assim está seu Campo de Luz.

Eu Sou Luz
Eu Sou Paz
Eu Sou Amor
Cor sugerida: BRANCA 

Maura de Albanesi
Imagem:Google

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Afinal, o que significa Amém?



Eu sou totalmente contrário a fazermos as coisas por fazer ou porque os outros fazem. Creio que fazemos as coisas muito melhor quando sabemos os seus porquês e os seus significados. Falamos e fazemos muitas coisas na igreja ou em nossos encontros, que muitas vezes, não temos a mínima ideia do que são e dos seus por quês. Seja sincero, você sabe exatamente o que significa a expressão amém?

Amém é uma palavra de origem hebraica e aparece em praticamente todas as línguas. Podemos traduzir seu significado como “assim seja”, “é assim”. Seu significado também passa por algumas expressões que encontramos na língua portuguesa, como “certamente”, “de fato”, “com certeza”.

Amém é uma expressão que indica confiança e convicção a respeito do que se está concordando. Normalmente a usamos para concordar com alguma oração que estamos acompanhando ou com alguma fala de alguém. Por isso, cuidado ao dizer amém, pois você está assinando embaixo do que foi falado.

Fonte: esbocandoideias.com

sábado, 21 de abril de 2018

O amor não é ciumento...


Não é o amor que é ciumento. Observe, perceba, verifique de novo. 
Quando você sente ciúme, não é o amor que sente ciúme; o amor nunca conheceu o ciúme. Da mesma maneira que o sol nunca conheceu a escuridão, o amor nunca conheceu o ciúme. É o ego que se sente ferido, que se sente competitivo, numa constante batalha. É o ego que é ambicioso e que deseja ser superior aos outros, ser alguém especial. É o ego que começa a sentir ciúme, possessividade, porque o ego pode existir somente com posses."

Osho
Imagem: Google

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Quer fazer algo grandioso nessa existência?




Uma árvore pode transpirar por suas folhas, até 60 litros de água por dia. Este vapor se mistura com as partículas de poluição do ar, e quando se acumulam em nuvens, caem em forma de chuva. Portanto, as árvores ajudam também na retirada de poluentes do ar! Além do mais, este vapor ajuda a equilibrar o clima da região. Isso é facilmente percebido em parques e floretas que tem seu clima mais fresco.

Árvores fazem sombra! 
Elas ajudam a tornar o mundo mais silencioso, pois formam uma parede que impede a propagação dos ruídos. Protegem o solo da erosão e as folhas que caem formam um berço para novas sementes, dando continuidade ao ciclo da vida. 

E o melhor...árvores atraem pássaros! Muitos! 

Quer fazer algo grandioso nessa existência? Plante árvores!
E compartilhe essa ideia! 

“Amo aqueles que plantam árvores mesmo sabendo que nunca se sentarão em sua sombra. Plantam árvores para dar sombras e frutos para aqueles que ainda não nasceram.”
Rubem Alves 🍃

Sabe o nome disso? ESPERANÇA! 

#dicasbypassarinhos #pormaisconsciencia

terça-feira, 17 de abril de 2018

Se você realmente quer a paz na terra,


" Se você realmente quer a paz na terra,
Crie a paz em seu coração.
Este é o lugar certo para começar.
Depois distribua e irradie paz e amor.
Quanto mais e mais pessoas se tornarem pacificas e alegres.
Quanto mais e mais pessoas possam dançar e cantar. 
Quanto mais e mais pessoas possam dizer Aleluia do seu mais profundo coração. 
Vai se tornar impossível para esses poucos loucos de criar uma guerra."

Osho
Imagem Google 

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Preserve sua individualidade...



Todas as vezes que eu me entreguei por completo, obstrui o canal de retorno, morri de desnutrição emocional. Quando concedi total atenção, tornei-me invisível. Ao dar tudo,  fiquei despossuído, sem nada receber em troca. Mas com o tempo, aprendi que a culpa era toda minha. Na ânsia de amar, eu não guardava nada de mim para mim mesmo. E nessa domesticação, ia perdendo o encanto. Quem partilha a vida conosco, quer que vivamos a nossa vida, em parceria. Acabe com o individualismo, mas preserve a individualidade. Só assim o outro poderá continuar cultivando a apreciação. Não há encanto que sobrevive a manifestação de dependência. Devemos ser metade revelação, mas metade enigma que cativa a busca. Esse mecanismo pode ser o segredo da relação feliz, dar de nós o que pertence ao outro, e guardar o amor, a atenção, a dedicação, e os sonhos que devemos dedicar a nós mesmos...

Andrade Moraes 
Imagem Google 

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Essa é a natureza das coisas...


"Existem certas necessidades básicas que devem ser cumpridas; existe uma hierarquia. 

Primeiro suas necessidades corporais devem ser satisfeitas; então suas necessidades psicológicas devem ser satisfeitas. 

Só então, pela primeira vez, você fica com fome de experiências espirituais. 

Agora o que posso fazer sobre isso? - essa é a natureza das coisas. Se a água evapora a cem graus, o que posso fazer? Não posso convencê-la a evaporar a noventa e nove graus. 

É a natureza das coisas. E esta é a hierarquia: as necessidades corporais primeiro, depois as necessidades psicológicas em segundo lugar, e só então as necessidades espirituais. 

O que posso lhe dar diz respeito à sua fome de crescimento espiritual. 

Se não estiver lá, não posso criá-la. Se estiver lá, posso lhe mostrar o caminho."

Osho
Imagem: Google 

Quando olhamos o outro...



"Quando olhamos o outro enxergamos a nós mesmos...
Se há amor próprio em seu coração, facilmente conseguirá amar o próximo desinteressadamente. Da mesma forma, se há muitos conflitos e sentimentos de baixa frequência dentro de si. Encontrará apenas defeitos nas pessoas ao seu redor."


Osho 





terça-feira, 3 de abril de 2018

Meu filhote e seus 5 anos...


Ele é a minha vontade de aprender,
a minha força,
a minha fraqueza,
a minha riqueza.
Ele é o aperto no meu peito diante de uma escada,
a ausência de sono diante de uma febre.
Ele é o meu impulso, o meu reflexo, a minha velocidade.
O cheirinho no meu travesseiro,
o barulho, a metade, o mundo azul.
Ele é a presença,
a surpresa, a esperança.
A minha dedicação.
A minha oração.
A minha gratidão.
O meu amor mais puro e bonito.
A minha vida!

Hoje, esse moço de sorriso fácil está completando 5 anos!
Que Deus te abençoe e proteja meu filho!
Te amo mais do que tudo!

sexta-feira, 30 de março de 2018

Páscoa...e um olhar mais amoroso...


Perseguir o silêncio é o mesmo que perseguir a sabedoria. Os sábios falam menos e escutam mais. Eles não se apressam em dar nomes às realidades. Eles demoram os olhos na realidade e sabem aprecia-la sem pressa. Olhar devagar é um dom que desejo possuir.

O olhar apressado é a matriz de todo preconceito. Acho que vi, mas não vi. E o pior, digo que vi, sem ter visto.

Jesus só olhou o mundo sem pressa. E por isso Ele era capaz de ver o que ninguém via. Olhou Madalena e não viu a prostituta que todos viram. Viu a mulher, viu o ser humano que precisava ser resgatado dos olhares apressados que a condenavam.

Olhou Pedro e não viu somente o pescador. Viu o homem que poderia vir a ser. Viu a eloqüência das palavras aprisionadas em seu “não saber dizer”. Viu o profeta escondido detrás da timidez e do medo.

Ultrapassou os excessos da vida errante e enxergou o santo que ali estava adormecido.

Eu não sei como anda o seu olhar sobre si mesmo. Não sou conhecedor da pressa ou da calma do seu olhar. Uma só coisa eu sei, e sobre isso quero lhe dizer. Há em você um universo de verdades a ser descoberto. Há uma humanidade linda que ainda precisa passar pelo processo do florescimento.

Não sabe por onde começar? Eu lhe dou uma dica. Comece a prestar atenção no jeito como você se enxerga, no jeito como você se trata, no jeito como você se interpreta. Não aloje em seu coração sentimentos que sejam contrários à sua felicidade. Não deixe demorar dentro de você o que na vida não valeu à pena. Expulse de sua mente tudo o que for contrário ao que Deus espera de você.
Cultive esta certeza: o olhar de Jesus já lhe atingiu! Ele confia profundamente em tudo o que você ainda pode ser. Não se prenda aos seus fracassos. Eles não são nada perto de tudo o que Deus preparou para o seu futuro. Derrotas podem ser fontes de esperanças...

Veja o avesso de suas inseguranças. Há uma coragem que você precisa enxergar. Ela é necessária como o pão de cada dia.

Hoje é dia de olhares demorados...

Veja em você o que Jesus já viu.
Lance sobre você um olhar amoroso. É disso que você está necessitando.

Pe Fábio de Mello

Feliz Páscoa!





terça-feira, 20 de março de 2018

Outono e a renovação das energias...


Olá amigos!

É hoje a chegada do Outono...as 13:57hs...ele estará batendo na nossa porta!
Já disse em outros posts o meu carinho por esta estação...
Gosto das tardes de outono...das cores, do aconchego...
Do sol quente e do vento frio...

Dos contrastes...


A vida é sombra e luz.
Sol e chuva... 
Flor e outono...
Calor e frio...
E, nos contrastes, a gente progride...


Que tal preparar a casa para receber esta estação? hã?

Decorar com folhas secas, grãos nos vidros (que remete a ideia de armazenar para o inverno)...
Mantas, para dar aquele ar de aconchego...
Incenso de canela para perfumar...

Enfim...


E depois de tudo limpo, decorado e perfumado...
Faça esse exercício de proteção do lar...para entrar no outono com energias renovadas!

Posicione-se na parta de entrada da sua casa...
Respire profundamente algumas vezes...
Eleve seu pensamento...
Mãos em oração em frente ao peito.
Imagine uma luz branca descendo sobre sua cabeça...
Essa energia poderosa passa pelo seu corpo e chega até suas mãos...
Abra os braços e imagine essa luz irradiando de suas mãos...
Caminhe pela casa, banhando cada móvel, cada objeto, cada cômodo da sua casa com essa luz poderosa.
Percorra toda a casa e volte a porta de entrada.
Encerre unindo as mãos novamente em frente ao peito 
Respire profundamente e agradeça por essa benção divina que você e sua família acaba de receber.

E que assim seja...


E que venha o outono...
Lembrando que a vida é um ciclo...
E que as folhas que caem hoje precisavam ir...
Desapegar-se é abrir a janela da RENOVAÇÃO!
Que venham as folhas novas! 

Um abraço com cheiro de canela...
Sheila Costa
Do blog Passarinhos no Telhado
imagens google


.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...