Pesquisar este blog

Tradutor

terça-feira, 6 de novembro de 2018

O que é ser “ bem sucedido”




Reflita comigo...

Uma pessoa estudou, se formou, fez pós graduação, comprou uma casa bonita, se casou, tem um trabalho reconhecido, filhos, um dinheiro na poupança, viaja uma vez por ano para o exterior.

Já outra... Largou os estudos, mora de aluguel, se divorciou, trabalha com algo que gosta mas que é pouco reconhecido , escolheu não ter filhos, não tem dinheiro guardado nem viaja para o exterior.

"Qual delas você acha que é mais bem sucedida?"

............

São muito fortes os condicionamentos que nós todos recebemos.

Eu espero que você tenha respondido coisas como...

"Quem for mais feliz" ou "Quem aprendeu e evoluíu mais".

Ou ainda: "Quem amou mais".

Aquilo que é sucesso para o ego nem sempre é sucesso para a alma.

Para o EGO, o sucesso está relacionado a esse mundo que pulsa do lado de fora dos nossos olhos. O ego valida coisas como status, conta bancária, títulos, poder. 

Mas para a nossa ALMA, o sucesso se relaciona a coisas bem diferentes. 

_ Você acha que "a luz que você é" se importa com o carro que você tem? Ou quer ler o seu Curriculum para ver se você fez um bom MBA? Ou se importa se o seu namorado ou namorada tem um bom sobrenome?

Para a sua alma, o que importa é aquilo que que pulsa em seu mundo interno. 

O que importa é que você saiba apreciar o por do Sol, que aprenda com cada passo dado, que tenha cuidado para não pisar nas flores quando caminha, que seja capaz de se emocionar com a beleza, de sentir compaixão pelos que sofrem, que se mantenha vivo nesse mundo desafiador, sem perder a alegria. 

Ser bem sucedido é Ser de verdade, é honrar a luz que te habita, é acordar todos os dias e tentar ser um pouco melhor do que ontem.

.........................................................

Para saber o que é ser bem sucedido, antes você precisa saber quem é.

"QUEM  VOCÊ É ?"

Seu ego ou sua alma?

Texto de Patricia Gebrim 
Imagem: pintura do artista plástico 
nordestino Eduardo Lima

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Só assim o Brasil vai mudar...



As pessoas estão compartilhando que o Brasil vai mudar após as eleições. Meus queridos, o Brasil vai mudar sim! Vai mudar quando o brasileiro mudar. Vai mudar quando você devolver o troco errado para o caixa. Vai mudar quando você marcar consulta no SUS ou particular, e for.
Vai mudar quando você respeitar as pessoas. Vai mudar quando você respeitar a opinião das pessoas. Vai mudar quando você respeitar as diferenças.
Vai mudar quando você desligar a TV e ler um livro. Vai mudar quando você for à reunião da escola do teu filho. Vai mudar quando você parar de comprar um telefone com o valor maior que teu salário. Vai mudar quando você valorizar os professores do teu filho. 
Vai mudar quando você parar de fazer gato na energia, na internet e na TV a cabo. Vai mudar quando você parar de cortar filas. Vai mudar quando você parar de chamar negro de "moreninho".
Vai mudar quando você, casado, deletar o app de namoro. Vai mudar quando você deixar de te preocupar se a moça não se depila.
Vai mudar quando você não sair correndo para colocar gasolina e apoiar uma classe.
Vai mudar quando você parar de reclamar que no mês não tem feriado. Vai mudar quando você ensinar para seu filho que o porteiro merece o mesmo respeito que o delegado.
Vai mudar quando você prometer pegar teu filho no final de semana e fores.
Vai mudar quando você parar de dar brinquedos caros ao seu filho, e sentar no chão para brincar com ele.
Vai mudar quando você parar de chamar a moça de "cachorra".
Vai mudar quando você der valor para o trabalho que tua esposa realiza em casa.
Vai mudar quando você deixar de achar o cabeleireiro barato e pedir desconto ao dentista. Vai mudar quando você parar de compartilhar desgraça no face e saíres para fazer um trabalho voluntário.
Vai mudar quando você souber a diferença entre notícia com fundamento e fake news.
Vai mudar quando você votar em candidato sem pensar no que tu vais ganhar.
Vai mudar quando você parar de compartilhar onde tem blitz. Vai mudar quando você não usar a vaga da pessoa com deficiência.
Vai mudar quando você pegar o cocô do teu cachorro. Vai mudar quando enfim você entender que política não é só de 4 em 4 anos, e sim que a política está até no pão com ovo que você come, para pagar o carro do ano...
Nenhum político é capaz de mudar um país se as pessoas não mudarem suas atitudes!

Texto de Jaqueline Mendonça

Concordo com vc Jaqueline! 👏🏼

domingo, 21 de outubro de 2018

Você não é uma vítima!




Há duas formas através das quais podemos olhar para a nossa vida.
Através de nossos olhos humanos.
Ou através dos olhos da alma.
Acreditem, existem mundos muito diferentes disponíveis para nós.
Quando olhamos com nossos olhos humanos, o olhar é sempre voltado para fora. 
—>Os OUTROS se tornam nossos algozes. 
"Eles", os errados, os culpados, os imperfeitos, os egoístas. 
—>A nós, cabe o papel de vítimas. 
"Nós", os bons, os corretos, os incompreendidos, os injustiçados.
Ah... Se percebêssemos o quanto nos prejudicamos ao pensar assim.
Nos despotencializamos e agimos como crianças, cegas e inconscientes.
Essa forma distorcida de ver o mundo avaliza muitos atos destrutivos e cruéis, cometidos em nome "da justiça".
Não percebemos algo fundamental nessa equação. 
Não percebemos que não há " nós" e "outros". 
Não percebemos que somos TUDO O QUE EXISTE, desdobrado em infinitos aspectos.
Ouça... Aquele que você julga, teme ou odeia é uma parte de seu próprio ser. 
Tente imaginar que isso seja verdade... Mesmo se não acreditar, o que custa fazer esse exercício? 
"Como você trataria o outro, se soubesse que ele também é você?"
...........
Só compreendemos isso quando fechamos os olhos físicos e abrimos os olhos da alma.
Os olhos da alma tem algo que os olhos físicos não tem. 
Tem um infinito Amor.
Amor é luz. É sabedoria. É inclusão.
Os olhos da alma olham para o mundo ao nosso redor como se fosse um filme feito para nos ensinar.
Os olhos da alma sabem que não existem algozes ou vítimas.
Os olhos da alma não apontam o dedo. 
Sinta isso... Não somos vítimas, e se você acredita que é uma vítima, saiba, você é refém de uma ilusão.
Cada um de nós atraíu tudo o que se desdobra ao nosso redor, por algum motivo.
Mesmo as experiências mais difíceis.
Precisamos aceitar isso.
Assumir nossa responsabilidade.
Essa é a única maneira de suavizar nossa vida.
Mudarmos por dentro.
Parar de culpar o mundo.
Aprender.
Evoluir.
Amar.
Abra o olho interno.
Veja.

Texto de Patricia Gebrim 

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Em um Momento de decisão...



Só pensando aqui, em voz alta.
Estamos vivendo um momento no qual as referências externas estão contaminadas por mentiras, manipulações e distorções. 
Olhamos ao redor e nossos olhos falham em saber o que é real. A verdade é que "não temos como saber" o que é verdade e o que é parte de uma ilusão criada para manter o caos que engole a todos nós.
Talvez estejamos sendo forçados a encontrar outro caminho para nortear nossas escolhas. 
Talvez, apenas talvez, gente... Estejamos sendo convidados a usar nossa intuição para nos guiar nesse momento de escuridão.
Talvez possamos fechar os olhos e consultar nossos corações.
Talvez a resposta nos aguarde por lá.
Talvez possamos ser guiados na melhor direção.
Talvez...

Patricia Gebrim

Feche os olhos! 
Coloque de lado todo esse bla bla bla que fica gravitando na sua volta e sinta!
Permita-se sentir! 
E seja guiado pelo seu coração! 

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Diversidade...




"Seja menos preconceito, seja mais amor no peito.
Seja Amor, seja muito mais amor.
E se mesmo assim for difícil ser
Não precisa ser perfeito
Se não der pra ser amor que seja pelo menos respeito.

Há quem nasceu pra julgar
É há quem nasceu pra amar
E é tão difícil entender em qual lado a gente está
Que o lado certo é amar!

Amar pra respeitar
Amar para tolerar
Amar para compreender,
Que ninguém tem o dever de ser igual a você!

O amor, meu povo,
O amor é a própria cura, remédio pra qualquer mal.
Cura o amado e quem ama
O diferente e o igual

Talvez seja essa a verdade
Que é pela a anormalidade que todo amor é normal.

Não é estranho ser negro, o estranho é ser racista.

Não é estranho ser pobre, o estranho é ser eletista.

O índio não é estranho, estranho é o desmatamento.

Estranho é ser rico em grana e pobre em sentimento.

Não é estranho ser gay, estranho é ser homofóbico.

Nem meu sotaque é estranho, estranho é ser xenofobico.

Meu corpo não é estranho, estranho é a escravidão que aprisiona seus olhos na grade de um padrão.

Minha fé não é estranha, estranha é a acusação, que acusa inclusive quem não tem religião.

O mundo sim é estranho, com tanta diversidade 
Ainda não aprendeu a viver em igualdade.
Entender que nós estamos
Percorrendo a mesma estrada.
Pretos, brancos, coloridos
Em uma só caminhada
Não carece divisão por raça, religião
Nem por sotaque
Oxente!

Sejam homem ou mulher
Você só é o que é
Por também ser diferente.

Por isso minha poesia, que sai aqui do meu peito
Diz aqui que a diferença nunca foi nenhum defeito.
Eu reforço esse clamor:
Se não der pra ser amor, que seja ao menos respeito!"

Braulio Bessa🍃

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Parabéns aos Professores semeadores...



“Veio-me a imagem daquela flor de campo: uma bola de sementes brancas, a gente dá um sopro, as sementes saem voando como se fossem pára-quedas, para irem nascer lá longe, onde o vento as levou…Assim é o educador: uma bola de sementes-palavra onde se encontra o sonho que ele deseja plantar...”

Rubem Alves

Parabéns aos Professores semeadores...

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Agora vc pode ouvir a Rádio Passarinhos no celular!



Volta e meia eu recebo mensagem de pessoas reclamando que não conseguem ouvir a Rádio Passarinhos no seu celular.
Pois é meus amigos...a rádio não toca no celular...só no computador....infelizmente!
Mas não desamine! 
Atendendo a pedidos, criei uma rádio no SoundCloud.
Basta baixar o aplicativo no seu celular, entrar com o perfil do Facebook mesmo...ou fazer um pequeno cadastro, como preferir.
E pronto! Você terá acesso a Rádio Passarinhos! 
Por enquanto a  playlist não está muito grande como a da rádio...
Mas aos poucos ela vai crescendo...crescendo e crescendo...
O ícone de acesso está aqui no blog, a direita ( logo abaixo do acesso a rádio) 
Neste ícone:  

É só clicar e você será direcionado pra lá.
Espero, de coração, que gostem! 

Beijos musicais...

Sheila Costa
do blog Passarinhos no Telhado


quarta-feira, 3 de outubro de 2018

O seu julgamento sobre a vida do outro...




A sua experiência não te dá o direito de achar que sabe do outro. O seu universo é um e o do outro não é igual ao seu.
As pessoas são o que são e não o que você acha que elas sejam. O que você vê é somente o que a pessoa quer mostrar. Ou, quem sabe, o que ela não consegue esconder. 

Há muito mais ali. Ninguém é somente o que se mostra… Existem dores por trás do sorriso, existe fé por trás da descrença, existe fragilidade atras da ignorância, existe medo por trás da coragem, existem cicatrizes por trás de cada gole de bebida, existe inocência por trás da maquiagem, existe rejeição por trás da amargura, existe dor por trás da loucura. 

Existem tantas coisas. E há quem diga: “ah não justifiça, já passei por tanta coisa…” Ok. Não justifiça pra você. Você é você, os outros são os outros. Você supera, outros talvez não.

É simples. As pessoas são muito mais aquilo que escondem do que aquilo que mostram. Porque é preciso muita coragem pra escancarar suas feridas, escancarar suas dores, escancarar tudo que incomoda. Nem todos possuem essa coragem. Então, se escondem. E é exatamente por isso que ninguém conhece ninguém. Nunca conhecerá. Você só conhece o que a pessoa permite que você conheça. E é só.

Não se ache tão importante a ponto de olhar pra alguém e emitir um juízo de valor que não cabe a você! O caminho do outro não é o seu caminho… Não é porque a pessoa tem trinta tatuagens, incontáveis piercings, cabelo azul, a cara sempre fechada, a grosseria sempre aparente, dentre outras coisas, que ela seja a pessoa que você acha que ela é. Alias, conheço muitas pessoas que não tem nada disso e nem por isso são ótimas. Alias, a maioria dos que julgam não tem moral pra isso. Mas sentam o traseiro pra abrir a boca e proclamar o que é “certo” e “errado”. Bate no peito pra dizer que não faz tanta coisa, mas faz outras tantas piores. “Se meu filho usar brinco, sai de casa.” Mas usar a filha dos outros pode. Isso é “ser homem”, usar brinco é coisa de “viado”. Se você se encaixa nessa turma, sinto dizer e decepcionar você, mas você está fazendo isso de uma forma preconceituosa. E, por mais que você ache ser, você não é melhor que ninguém. Não adianta ter dinheiro se você não tem valores. Não adianta não ter brinco, se te falta respeito pelo outro. Não adianta não ter tatuagem nenhuma, se você tem desonestidade de sobra. O importante mesmo não é a capa, mas o que está dentro. E acredite: você jamais entenderá o que existe dentro do outro. Sinto lhe dizer isso também. Você não sabe o que o outro passou e sentiu ou sente, pra ter feito as escolhas que fez. Você não sabe se faria da mesma forma ou pior ou melhor, sem antes passar ou ter passado pela mesma situação. É muito fácil comprar o ingresso, sentar na plateia e emitir opinião. Difícil é continuar honrando tudo aquilo que você critica quando estiver do outro lado. É por essas e outras, que digo: ninguém é obrigado a entender as escolhas de ninguém, mas somos sim obrigados a respeitar as escolhas de cada um. Boas ou ruins, bonitas ou feias, estranhas ou interessantes, são suas e não minhas, ou são minhas e não suas. Que plante e que colha. Não cabe a ninguém emitir juízo de valor sobre o peso que o outro carrega nos ombros e o que deve ou não fazer com ele. Somos plural, mas somos muito mais singular. Portanto, quando pensar em julgar alguém, comece por você. Quase sempre funciona. Se conseguir, não terá mais o que dizer do outro. Caso contrário, você não terá moral mesmo.

Mariana Caramori
Imagem: Google 

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Todos estão surdos...



Desde o começo do mundo
Que o homem sonha com a paz
Ela está dentro dele mesmo
Ele tem a paz e não sabe
É só fechar os olhos e olhar pra dentro de si mesmo
Tanta gente se esqueceu
Que a verdade não mudou
Quando a paz foi ensinada
Pouca gente escutou
Meu Amigo volte logo
Venha ensinar meu povo
O amor é importante
Vem dizer tudo de novo
Outro dia, um cabeludo falou
"Não importam os motivos da guerra
A paz ainda é mais importante que eles"

Esta frase vive nos cabelos encaracolados
Das cucas maravilhosas
Mas se perdeu no labirinto
Dos pensamentos poluídos pela falta de amor
Muita gente não ouviu porque não quis ouvir
Eles estão surdos!
Tanta gente se esqueceu
Que o amor só traz o bem
Que a covardia é surda
E só ouve o que convém
Mas meu Amigo volte logo
Vem olhar pelo meu povo
O amor é importante
Vem dizer tudo de novo
Um dia o ar se encheu de amor
E em todo o seu esplendor as vozes cantaram
Seu canto ecoou pelos campos
Subiu as montanhas e chegou ao universo
E uma estrela brilhou mostrando o caminho
"Glória a Deus nas alturas
E paz na Terra aos homens de boa vontade"
Tanta gente se afastou
Do caminho que é de luz
Pouca gente se lembrou
Da mensagem que há na cruz
Meu Amigo volte logo
Venha ensinar meu povo
Que o amor é importante
Vem dizer tudo de novo
Música Todos estão Surdos. Compositores: Roberto Carlos Braga / Roberto Carlos
Tão antiga.  Tão atual...

domingo, 30 de setembro de 2018

Almas são como velas acendem-se umas nas outras



Estamos vivendo um momento desafiador no Brasil. Na verdade creio que a onda que está revolvendo nossas entranhas é global.

A sombra veio à tona. O escondido está sendo revelado, e isso não se refere apenas à situação político-econômico-social, mas a cada um de nós.

A forma como reagimos a esse momento revela também nossas sombras. Isso não é ruim. Só podemos limpar a sujeira que enxergamos.

Mas ouça. Enquanto nos ocupamos em apontar a escuridão lá fora, nos outros, na política, naqueles que atacamos por pensarem diferente de nós, deixamos de agir e transformar o que nos cabe. 
Nós mesmos.

Pense que cada um de nós tem dons e habilidades que servem ao todo. Uns tem uma mente clara e ótimas ideias, outros são ágeis em encontrar soluções criativas. Uns sabem usar agulhas para curar, outros têm o dom da oratória. Uns amam estar em grupo e iniciar movimentos que se expandam, outros preferem ficar no jardim cuidando de uma única sementinha.

O momento requer que cada um de nós descubra seu dom e o coloque a serviço do todo.

Existe algo que só você tem a dar, entende?

Precisamos evitar a armadilha de sermos sugados por essa ilusão coletiva que diz que o nosso destino está nas mãos de alguém, que não nós próprios. 

Enquanto ficamos aguilhoados pela revolta, reclamando, atacando uns aos outros, alimentando essa onda que causa angústia e medo, deixamos de fazer a única coisa que poderia ser verdadeiramente revolucionária.

Existir.
Ser a luz que somos. 
Não importa a sombra que nos rodeie, estamos aqui para manifestar nossa luz. Uma única vela acesa rompe a escuridão.

Se você for alguém influente na política, seja luz. Se você for influente na educação, seja luz na educação. Se for dono de um quiosque na praia, coloque amor ao preparar os sanduiches. 
Onde quer que esteja, faça o seu melhor.

Pare de desperdiçar sua energia julgando, polarizando, atacando. Isso não resolve. Apenas aprofunda esse véu de separatividade e cega a todos nós.

Essa é a última tentativa da sombra de nos afastar de nós mesmos.

Temos um poder imenso e tudo pode se transformar se formos sábios e corajosos para fazer a única coisa que nos cabe. 

Não se deixe iludir pelo que vê à sua volta. Respire. Faça o seu melhor. Vibre a luz que você é. 

E confie!
Estamos a caminho! 

"Almas são como velas acendem-se umas nas outras"

Por Patrícia Gebrim
Imagem: Google 

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Eleições 2018 sob a luz da física quântica



Está com medo dessas eleições?
Então sugiro que leia esse texto até o fim!

Eu vou te contar como alcancei uma serenidade que me emociona sobre esse tema.

Ouço falar de amigos furiosos, discutindo nas redes sociais, desfazendo amizades no facebook, vejo alguns perdidos e desanimados com os candidatos disponíveis. Uns dizem que irão pra praia, voto nulo, voto em branco pra não ter o ônus de escolher em quem votar. 

Entendo perfeitamente, estava assim até bem pouco tempo. 
Mas parei pra pensar e decidi criar paz em mim. 

Quer saber como fiz isso? 
Vou explicar. 
Entender é a sua parte!

A física quântica é a ciência das possibilidades.
Nada está determinado no futuro, apenas há uma possibilidade de acontecer, de acordo com o seu comportamento atual. 

A única coisa que sabemos é que tudo é perfeito, mesmo quando achamos que algo é ruim, é preciso identificar algum aprendizado, o que torna a experiência válida. 

Quando temos medo do futuro é porque estamos na dualidade, separados da nossa essência. 
Lembre-se que tudo é perfeito.

Tudo está em movimento. A matéria não é densa, é apenas um monte de partículas se movimentando. Os cientistas já provaram que o observador determina se o átomo vai se comportar como partícula ou como onda, num experimento chamado “Fenda Dupla”. Trocando em miúdos, isso significa que cada pessoa cria a sua própria realidade. Realidade essa que é interpretada de forma diversa de acordo com suas experiências de vida, meio cultural onde vive e projetos de futuro.

Isso tudo me autoriza a valorizar a autorresponsabilidade. 
Ou seja, se a sua timeline está cheia de troca de ofensas e você se perturba com isso, adivinha de quem é a responsabilidade? 
É sua. Você focou nisso. Você criou isso pra sua vida.

Você quer provar que o seu ponto de vista é o certo? 
Impossível! Cada um cria sua própria realidade. Não aceitar o ponto de vista do outro cria uma realidade de intolerância, você não acha?

Além disso, aprendi recentemente que eu só enxergo no outro o que está em mim. 
Se não estivesse dentro de mim, eu nem teria percebido. E isso é maravilhoso! 

A gente não consegue mudar o outro, mas podemos nos transformar e ensinar pelo exemplo. 
Trabalhe em você os defeitos que vê nos outros, fortaleça suas virtudes.
Pergunte-se: 
E se fosse comigo? 
Será que devo acreditar em tudo o que vejo na TV? 
Será que eu no lugar da pessoa teria agido diferente? 
Teria eu coragem de entrar na política e fazer diferente? 

No fim das contas, somos todos Um, vivendo a ilusão da separação do tempo e espaço. 
Tudo está em movimento. 
E a serenidade é uma decisão.

Há anos identifiquei que me prejudicava assistir TV porque o mundo através das notícias jornalísticas me parecia mau, cheio de pessoas más, e me deixava levar por esse sentimento. Virei massa de manobra. 
Foi libertador pensar sozinha sem aquele bombardeio de informação/opinião alheia. 

Não duvidem que o Brasil é uma nação maravilhosa.

Estamos passando por um período de transição importantíssimo e extremamente necessário. 
Uma mudança de paradigma, de mentalidade. E a mudança começa dentro de cada um de nós.

Somos seres vibracionais. 
Temos um campo eletromagnético ao nosso redor. 
Tudo o que emitimos, volta para nós. 
Simples assim. 

A resposta é sempre sim, pois tudo é perfeito, lembra? 
Se o seu foco está na indignação com a opinião alheia, você receberá situações para se indignar de volta, porque você está criando a sua realidade. Uma realidade de intolerância. Pensando e agindo assim você contribui pra facadas, agressões e revolta de gente desequilibrada. E o pior, está contaminando todos ao seu redor. 

O coração emite vibração eletromagnética muito maior do que o cérebro.
Ou seja, sentir medo, raiva só vai trazer mais disso pra você. Não faça isso!

Sinta alegria, sinta paz e serenidade.
Encontre pontos positivos no processo. 

Tenho certeza que sua vibração vai mudar assim que seu foco for por enxergar o lado bom sempre. 
Mudando a si mesmo, você muda uma comunidade inteira.

Pense, faça uma análise critica dos candidatos, mas não sinta medo ou ódio porque você está se prejudicando e atrapalhando os outros. 

Vibre na paz. 
Ouça uma bela música. 
Busque áudios binaurais na internet, 
meditação hooponopono, 
faça uma oração, 
uma prece, 
um pensamento positivo 

e transmute esse sentimento ruim em paz e alegria. 
Veja vídeos alegres, divertidos! 

Automaticamente a melhor das possibilidades será criada e os melhores candidatos serão eleitos.

A responsabilidade é de todos nós. 
O amadurecimento da nação depende da autorresponsabilidade. 

Vamos fazer a nossa parte?

Texto de Roberta Ramalho
Imagem: Google 

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

A vida é como um piquenique em uma tarde de domingo...



"A vida é como um piquenique em uma tarde de domingo — ela não dura muito tempo. Só olhar o sol, sentir o perfume das flores ou respirar o ar puro já é uma alegria. Mas se tudo o que fazemos é ficar discutindo onde pôr a toalha, quem vai sentar em que canto, quem vai ficar com o peito ou a coxa do frango…, que desperdício! Mais cedo ou mais tarde o tempo fecha, a tarde cai e o piquenique acaba. E tudo o que fizemos foi ficar discutindo e implicando uns com os outros. Pense em tudo que se perdeu." 

Na Terra dos Budas
Imagem:Google 

sábado, 25 de agosto de 2018

Apimentado a vida...



Imagem: passarinhos no Telhado 
Uma das coisas que aprendi a gostar nessa vida foi de pimenta. De uns tempos pra cá sinto vontade de comer coisas apimentadas! Fui pesquisar os benefícios da danada...e olha o que descobri: 

As pimentas são benéficas para o organismo porque possuem atividades antimicrobiana, anti-inflamatória, anticancerígena, melhoram a digestão, diminuem os níveis de colesterol e, por ter efeito termogênico, ou seja, acelerar o metabolismo, ajudam a emagrecer. Mas nem todas as pimentas trazem esta lista de vantagens. Para colher tais benefícios é preciso que a pimenta seja do gênero Capsicum.


As principais pimentas do gênero Capsicum produzidas no Brasil são: jalapeño, pimenta de cheiro, pimenta de bode, cumari-do-Pará, malagueta, dedo-de-moça, murupi, biquinho e cambuci ou chapéu de frade. A quantidade de capsaicinoides de cada uma destas pimentas varia de acordo com a ardência dos frutos, quanto mais picante, maior a quantidade do princípio ativo.

Fonte:minha vida 

Viu só que beleza! 
Bora apimentar a vida gente! :)

Observe o colibri...



"Observe o colibri. Não adianta a flor ser exuberante. Ele só se detém na que tem doçura. O beija flor sabe que, aquilo que importa está dentro. A beleza exterior pode atrair o pássaro, mas ele só fica se ela for projeção do que habita o coração."

Andrade Moraes
Imagem: Google 

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Tudo é uma questão de interpretação...


Tudo é uma questão de interpretação! 
E quando falo isso, falo com muita convicção mesmo! 
Tenho uma página no Facebook com o mesmo nome do blog, onde compartilho mensagens, textos etc. E fico chocada como algumas mensagens são distorcidas e mal interpretadas. Às vezes eu fico até me questionando...será que sou eu que entendi tão errado assim? 

As pessoas distorcem conforme suas emoções, conforme o que elas vivem no momento, conforme suas experiências passadas. Muitas vezes elas se detém a “uma palavra” da mensagem e não olham o contexto que ela foi inserida. E julgam! 

Ah! E como  julgam! 
Discordar é uma coisa, mas ser grosseiro é outra bem diferente. 
Em tempos de redes sociais, o que mais temos são juízes escondidos atrás de seus perfis bloqueados ao público. Com seus olhos maldosos estão sempre à procura de um detalhe para “ apontar o dedo” e falar mal. São grosseiros, desrespeitosos e inconvenientes. Jamais agiriam assim se estivessem frente a frente com as pessoas. São corajosos porque sabem que estão distantes! 

Esses dias fiz uma postagem e fiquei chocada como ela foi distorcida. Como ela foi mal interpretada por alguns! 

Vamos olhar além! Sair da órbita do nosso umbigo. 
Quando ler, leia de novo. E de novo, e de novo... 
Pense como a vida é grandiosa e vai além das nossas experiências. 
Se questione! Porque isso me incomodou? 
O que mexeu em mim? 
Ao invés de criticar de primeira, reflita. 
Mas se mesmo assim, discordar e quiser colocar o seu ponto de vista, faça! Mas faça de forma respeitosa. 

Vamos parar de achar que a tela nos distância das pessoas e nos isenta de responsabilidades. 
Magoamos, somos magoados e temos o poder
deixar o dia de alguém melhor ou pior. 
Sim amigos! Podemos escolher. 

Então opte pela gentileza! Pela delicadeza! Pelo respeito! Opte por se colocar no lugar do outro. 
Elegância definitivamente é uma beleza que nunca acaba. 

Beijos respeitosos...

Sheila Costa 
Do Blog Passarinhos no Telhado 

sábado, 18 de agosto de 2018

Como me tornei um guerreiro...



Houve um tempo em que fugia do medo
então o medo me controlava.
Até que aprendi a segurar o medo como um recém-nascido.
ouvi-lo, mas não ceder.
Honra-lo, mas não o adorar.
O medo não podia mais me impedir.
Eu entrei com coragem na tempestade.
Ainda tenho medo
mas ele não me tem.

Houve um tempo em que 
eu tinha vergonha de quem eu era.
Eu convidei a vergonha para o meu coração.
Eu a deixei queimar.
Ela me disse: "Estou apenas tentando
proteger sua vulnerabilidade ".
Eu agradeci à vergonha,
e entrei na vida de qualquer maneira,
sem vergonha, com a vergonha como minha amante.

Houve um tempo em que tive muita tristeza
enterrada bem no fundo.
Eu a convidei para sair e brincar.
Eu chorei oceanos. 
Os meus canais lacrimais estavam secos.
E eu encontrei a alegria ali mesmo.
Bem no centro da minha tristeza.
Foi o desgosto que me ensinou a amar.

Houve um tempo em que tinha ansiedade.
Uma mente que não parava.
Pensamentos que não silenciavam.
Então parei de tentar silenciá-los.
E eu larguei da mente
fui para a terra,
para a lama.
Onde fui abraçado fortemente 
como uma árvore, inabalável, segura.

Houve um tempo em que a raiva queimou nas profundezas.
Eu chamei a raiva para a luz de mim mesmo.
Eu senti seu poder chocante.
Eu deixei meu coração bater e meu sangue ferver.
Escutei, finalmente.
E ela gritou: "Respeite-se ferozmente agora!".
"Fale a sua verdade com paixão!"
"Diga não quando você quer dizer não!"
"Ande o seu caminho com coragem!"
"Que ninguém fale por você!"
A raiva se tornou uma amiga sincera.
Um guia sincero
Uma linda criança selvagem.

Houve um tempo em que a solidão cortou profundamente.
Eu tentei me distrair e me entorpecer.
Corri para pessoas, lugares e coisas.
Até fingi que estava "feliz".
Mas logo eu não pude correr mais.
E eu caí no coração da solidão.
E eu morri e renasci
em uma requintada solitude e quietude.
Isso me conectou a todas as coisas.
Então eu não estava em solidão, mas sozinho com toda a vida.
Meu coração Um com todos os outros corações.

Houve um tempo em que fugia de sentimentos difíceis.
Agora, eles são meus conselheiros, confidentes, amigos,
e todos eles têm um lar em mim
e todos eles pertencem e têm dignidade.
Eu sou sensível, suave, frágil
meus braços envolveram todos os meus filhos internos.
E na minha sensibilidade, poder.
Na minha fragilidade, uma presença inabalável.

Nas profundezas das minhas feridas
no que eu tinha chamado de "escuridão",
Eu encontrei uma luz ardente
Isso me guia agora em batalha.

Eu me tornei um guerreiro
quando me virei para mim mesmo.

E comecei a ouvir.

Texto: Jeff FosterI
Imagem: Google 

sábado, 11 de agosto de 2018

Ser pai...


Eu não acho que uma pessoa que não tenha filhos seja incompleta.
Mas eu acredito que um pai se sinta pleno, se comparado com ele mesmo antes de ter filho.

Um filho é uma chance que todos nós temos de encostar na eternidade. De viver além da gente mesmo. Quando viramos noites e trocamos fraldas e levamos na creche e tentamos alimentar e dar banho e ajudar na lição, estamos encostando na eternidade. Estamos depositando esperança em um mundo além do nosso.

As pessoas vão olhar pros nossos filhos e dizer: “tem o sorriso do pai”. Ou “Eu conheço esse jeito de falar”. Ou “Esse olhar me lembra alguém”. É a gente. É a gente daqui há dez, vinte, cinquenta anos. É a gente, daqui a 100 anos, nos nossos netos. Eles aprendendo a andar, a desenhar, a escrever. É a gente ali. Nos bisnetos, tataranetos, “esse olhar me lembra alguém”, “de onde esse garoto tira tanta força de vontade?”.

É a gente. E as noites acordado, as fraldas, os banhos, o esforço e a dedicação. São as manhãs acordando do lado da criança, como se o sol estivesse do seu lado. Você se sente abraçado pela vida, o homem mais sortudo do universo. Você sente vontade de retribuir. Escrever um livro, plantar uma árvore. Inspirar outras pessoas a serem melhores.

Todo pai é uma inspiração. Todo pai é um otimista. Um ser cheio de esperança. Levando nos ombros um mundo melhor. As coisas vão ser melhores. Tudo vai melhorar. Essa é a nossa chance.

É a gente, encostando na eternidade.


Marcos Piangers
imagens google


Feliz dia dos Pais 
A todos pais, que mesmo diante de qualquer circunstância, se fazem presente na vida dos filhos...

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

As 5 regras para dominar a RAIVA




Vamos explicar cinco regras simples a respeito da raiva. Procure meditar nesses cinco aspectos para evitar que a raiva te domine:

A 1ª regra é bem simples e ela diz o seguinte: “a raiva bloqueia teu raciocínio”. Isso significa que os momentos em que explodimos de raiva são os piores para se tomar decisões, posto que as fortes emoções restringem nossa razão e nosso pensamento. Sempre que você fica com raiva e explode em intenso fervor emocional, você pode fazer escolhas que depois farão você se arrepender, e que podem até te prejudicar. Muitas vezes, tomados que estamos pela fúria, escolhemos, dizemos ou fazemos coisas que depois, na tranquilidade, pensamos “se estivesse calmo, não faria aquilo”. A trajetória de uma vida inteira pode ser modificada e destruída em apenas alguns minutos de ira.

A 2ª regra diz o seguinte: “Quem está nervoso muitas vezes deseja que outros fiquem como ele”, ou seja, todos aqueles que estão num estado de tensão, nervosismo e que vivem nas trevas da raiva e irritação compulsiva desejam que outras pessoas compartilhem do mesmo sentimento e descontrole. Quem está na escuridão quer que todos estejam na escuridão, pois assim eles sentem que há muitas pessoas como ele, e não se sente tão mal caso fossem os únicos. Apagar a luz dos outros é a melhor maneira de não enxergar sua própria escuridão. Em outras palavras, quem está na lama, quase sempre quer trazer os outros para a lama, pois assim eles têm “companhia”. O raivoso deseja ter alguém com quem compartilhar sua raiva, pois a raiva sozinha perde seu “combustível”, e muito frequentemente se transforma em depressão. Toda raiva não compartilha com outros acaba tornando o raivoso depressivo, com sentimentos de carência e vazio.

A 3ª regra é a seguinte: “Não dê poder a quem não tem”. Quando você se deixa levar pelos berros e deixa a raiva te dominar, você está dando poder àquela pessoa e permitindo a ela te desestabilizar. Mas esse poder de desorganização emocional é a própria pessoa que confere ao outro. No momento em que você pára de dar poder a quem não tem poder, você não mais se envolve pelas ofensas e agressões alheias e passa a ser mais neutro e menos vulnerável.

A 4ª regra diz algo muito importante: “A raiva prejudica a nós mesmos, e não ao outro”. Há uma máxima de sabedoria que diz o seguinte: “Ficar com raiva de outrem é o mesmo que tomar veneno e esperar que o outro morra”. O maior prejudicado com os acessos de raiva ou com a raiva prolongada somos nós mesmos. A ira pode gerar doenças emocionais e até físicas, em casos extremos, pode instalar quadros depressivos numa pessoa. A raiva contida é ainda mais prejudicial, pois vai aos poucos minando as nossas estruturas psicológicas. Portanto, tua raiva não prejudica o outro, ela afeta, em primeiro lugar, o próprio raivoso.

E por fim, a 5ª regra também é simples, mas pode parecer difícil de ser aplicada para algumas pessoas: “Não responda a uma ofensa, apenas silencie”. Quando, por exemplo, algum parente está envolto pela ira e começa a agredir a todos, a melhor resposta é o silêncio. Por que o silêncio? Pois é apenas no silêncio que aquela pessoa conseguirá ouvir a si mesma. Ela passará a ouvir seus próprios gritos, suas ofensas, suas agressões e terá a chance de se perceber, se sentir e se tocar do mal que está emanando. A quinta regra diz: apenas silencie e deixe a pessoa ouvir a si mesma. No momento em que não correspondemos a raiva, a pessoa perde sua energia, fica sozinha e passa a perceber a si mesma, e assim, ela pode enxergar-se como é. Dessa forma, a chance dela se ver e procurar se modificar é bem maior.”

Texto de Hugo Lapa
Imagem: Google 

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Pra hoje...



E feito uma prece, que a gente repita:
nada e ninguém poderá tirar a Paz que carregamos no peito;
coisa alguma vale o esforço da nossa Alma 
se não for para o nosso bem;
nenhuma força contrária empurrará nossa vontade 
para a contramão daquilo que a gente quer;
nenhuma palavra negativa soará mais alto 
do que dita nosso coração;
tempestade alguma impedirá a Fé nos voos mais bonitos,
pois se a gente coloca Coragem no impulso, 
a Vida direciona o vento.

Inês Seibert
Imagem:Google

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Sobre Egos e Medos



A principal função do nosso ego é nos manter protegidos e seguros, custe o que custar.
 
Então é bastante natural que alguns eventos ou situações que vivemos em nossas vidas deixem o nosso ego em alerta. 
 
Porque lá no fundo ele pensa assim:
"Tem alguma coisa diferente aqui, algo que não conheço ou que até conheço, mas não tenho uma boa lembrança, não sei onde isso vai dar, não sei se é bom ou ruim…é melhor eu me garantir. É melhor eu me proteger."
 
E uma forma bastante eficiente que o ego usa para se proteger é através do medo.
 
Primeiro para nos deixar fisicamente atentos e ligados, e segundo para fazer a nossa mente criar todos os cenários possíveis para que evitemos qualquer risco ou perigo.
 
A nossa mente vira um grande computador, criando cenários e calculando tudo o que pode dar errado.
 
Imagino que você sabe bem o que estou falando, quem nunca passou uma noite em claro com uma preocupação na cabeça, pensando e repensando em tudo o que podia acontecer?
 
Só que isso cansa, desgasta e estressa.
E pior, tira a nossa autoconfiança.
 
Então como lidar e reduzir os nossos medos?
 
Ou melhor, como usá-lo a nosso favor, como direcionar essa energia de forma produtiva em nossas vidas?
 
Você precisa seguir duas etapas fundamentais.
 
A primeira é identificar e dar nome para os seus medos.

Seus medos têm que estar claros para você, escritos em papel, conscientes e definidos de forma bem objetiva.
 
Pode parecer bobo isso, mas é muito normal nós termos medo de sentir medo, e para que isso não aconteça nós negamos que estamos com medo.
 
O famoso: “não…. tá tudo bem! Tá tudo ótimo, estou super feliz e confiante.” Quando na verdade você está cheio de medos negados.
 
Fugimos de olhar para os nossos medos, de olhá-lo nos olhos e dizer: “Eu te reconheço, você está aqui e não vou te ignorar.” 
 
Quando você escreve os seus medos no papel e torna-os vivos, você já deu um grande passo para não ser derrubado por eles porque agora seus medos não estão mais ocultos e podem ser trabalhados.
 
Você está desperto, atento e consciente em relação aos seus medos.
 
Existe um ditado do Aikido que diz o seguinte:
“Aquilo que é conhecido é trabalhável. Aquilo que é desconhecido pode nos derrubar.”
 
Então tornando seus medos conscientes você pode seguir para a segunda etapa: trabalhar os seus medos.
 
E aqui eu quero que você preste muita atenção no que eu vou dizer!
 
Não só para esse momento da sua vida, mas para toda a sua vida.
 
Essa é uma daquelas verdades que quando compreendida e vivida muda o jogo, mesmo!
 
A origem de todo e qualquer medo é a ignorância.
 
A ignorância sobre si mesmo ou a ignorância sobre o mundo que habitamos.
 
A ignorância é a raiz de todo medo. 

Cortando essa raiz o medo não cresce e cumpre a sua função inicial de nos deixar alertas e despertos para algo.
 
Então o antídoto para qualquer medo é o autoconhecimento e/ou o conhecimento.
 
O autoconhecimento é o antídoto para a sua ignorância a respeito do seu mundo interior e o conhecimento é o antídoto para a ignorância sobre o seu mundo exterior.
 
Então a próxima vez que você sentir medo pense o seguinte:
 
“Estou com medo por que existe algo que eu não conheço sobre mim mesmo e/ou sobre o mundo que eu habito. Esse é um convite da vida para que eu busque essa evolução pessoal.”
 
Coloque esse tipo de pensamento, comportamento e atitude em prática na sua vida sempre que identificar um medo e eu tenho certeza que muita coisa vai mudar para melhor na sua vida.
 
Porque os seus medos vão se desfazendo na medida em que você mergulhar cada vez mais em si mesmo e na busca ativa por informação e conhecimento.
 
É uma jornada, um processo, que você segue pouco a pouco, camada a camada, medo a medo; e aos poucos com presença e com paciência você vai diluindo os seus medos até eles sumirem.
 
E aqui fica mais uma dica:
 
Acostume-se a buscar conhecimento e informação sobre o mundo e sobre si mesmo. Torne isso uma rotina, um processo automático e prazeroso.
 
Porque o medo é um despertador da vida que nos chama para vivermos com mais presença e engajamento. Acorde com esse despertador o quanto antes ou o sono acaba virando pesadelo.
 
Bruno Giménez 

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Existe uma religião que...




Existe uma religião invisível...sem templos edificados, sem homens consagrados, sem ritos à cumprir...
Existe uma religião marginal...assim mesmo, à margem do trivial, à margem do aceitável, na sarjeta das devoções aplaudidas...
Uma religião sem dogmas, sem credo nem cartilha.
Religião dessacralizada, maltrapilha...
Fé que escorre na chuva, no pranto, na rua...
Fé que envolve minha alma e tua.
Que pia nos telhados, sopra e desmancha o penteado, se esgueira feito gato, nos olhando...
Ressabiado.
Fé que acolhe sem perguntas, sem obsessão pelo pecado.
Que brota da terra, perfumando e quebrando os ódios...
Que é toda só amor, sem culpas, sem tribunais.
Fé que quem descobre ter, parece ter endoidado...
Vê Deus em tudo, em todos, em cada centímetro desse traçado...
Esse traçado tão longo, tão puro e tão desvirtuado...
Que é a vida, esse caminho sagrado.
Que não se trilha sozinho...
E se tem que ser compartilhado, que seja na paz.
Religião sem prosélitos, flor que brota sem se aguar.
Fruto do bem divino, estendida a quem queira pegar.
Religião sem santo...
Sua doutrina aprendi, cantando no hinários dos grilos...
Nos “ais” da jornada de gente cansada...
Que ainda se arrisca a perceber encanto!
Na mão que afaga, ungida de compaixão...
É o cuidar, o simples cuidar, é essa a tal religião.

 Gi Stadnicki

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Pessoas mais seletivas evitam aborrecimentos futuros ...




É preciso selecionar as amizades a serem mantidas, os sentimentos a serem guardados, os ambientes onde nos demorarmos, as lutas que valem a pena serem travadas, os amores que merecem ser nutridos. Selecione, porque ninguém poderá fazer isso por você.

Quanto mais o tempo passa, quanto mais maturidade tivermos, estaremos menos dispostos a deixar por perto pessoas e coisas inúteis. Temos mania de carregar conosco, por tempo demais, bagagens que não são nossas. Temos certa tendência a aturar, além da conta, gente que não soma em nada, não acrescenta, não gosta e nem ama. É preciso selecionar.

É preciso selecionar as amizades. Podemos até ser cordiais com as pessoas, mas isso não deve significar que todas elas poderão caminhar junto conosco. Tem gente que emperra, não avança, nem possui a mínima noção de coleguismo. Por que, afinal, manter por perto quem nem se lembra de que existimos, quem não é capaz de perceber quando estamos bem ou não, quem não olha além de si mesmo?

Prof Marcel Camargo
Imagem: Google 

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Sobre o julgar as outras mães...



O problema não é você julgar a mãe que está agindo de uma maneira que você considera inadequada, pense dela o que quiser. O problema é você acreditar no seu julgamento e tomá-lo como verdade. É achar que você sabe do que está falando. É esquecer que seus pensamentos e opiniões são seus e são somente pensamentos e opiniões. Não, você não sabe nada da vida daquela mulher. Você não sabe quantas horas ela dormiu, quantas vezes chorou sozinha de medo e cansaço, quantas vezes se sentiu completamente incompetente e falha. Não faz ideia se ela tem rede de apoio, se tem quem olhe a criança pra que ela possa olhar pra si. Você não sabe o que é ser ela. Então não, você não pode saber como agiria se estivesse naquela situação porque jamais as variáveis serão iguais. E não importa se você já criou 357 filhos ou se educou todos os seus sobrinhos. Ela é única e muito, muito diferente de você. Por isso, queridos e queridas, antes de apontar seu dedinho para uma mãe ou falar que ela está certa ou errada, lembre que suas fantasias são suas, suas verdades são suas e não podem ser impostas a quem quer que seja. Sua intenção é ajudar? Então se cale e escute. Ouvir faz milagres. Quer aconselhar? Pergunte a ela se quer o seu conselho. Mas lembre que as respostas para a vida dela não estão dentro de você. 
Respeite a história que você desconhece. Respeite a complexidade da vida. Julgue a vontade, mas lembre que seu julgamento diz mais sobre você, suas crenças e convicções, que sobre o outro. 
Quer um mundo melhor? Ouça mais que fale. Ouça de coração, ouvidos e alma. Vai te fazer um bem danado. E a nós, mães, também.
Brigada. De nada.

Texto: Elisama Santos
Imagem: Google 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...