Pesquisar este blog

Tradutor

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Minha oração...



Hoje e sempre, eu quero:
Tempo para pensar antes de falar;
Serenidade para agir depois de falar;
Perseverança para continuar agindo depois de começar;
Humildade para reconhecer que preciso de outras pessoas;
Sinceridade para falar o "não" que preciso falar;
Lealdade comigo mesmo, para não me comparar com ninguém;
E fé na medida da razão, para eu continuar fazendo,
sem esperar que qualquer coisa caia do céu sem o meu esforço.

Assim, podemos seguir confiantes, certos da vitória sobre nós mesmos, sobre as nossas dificuldades em entender, o porquê de certas situações.
Quando não há resposta, devemos seguir trabalhando, certos de que, no devido tempo, tudo será esclarecido, elucidado e concluído.
Assim, compreender que a felicidade é a recompensa natural, dos que insistem em fazer tudo direito, mesmo quando todos insistem em fazer errado.

Somos os construtores dos nossos sonhos, responsáveis pelos nossos passos.
O que semeia, o que planta e o que vai colher.
Por isso, semeie amor, por onde você for !

Paulo Roberto Gaefke


E que assim seja! :)


Xô Uruca!


A casa onde os pássaros cantam é um lugar que criei com todo amor e carinho para compartilhar pensamentos meus e de outros autores que respeito muito.
É como se fosse a minha casa, onde eu convido para entrar, sentar e ouvir os passarinhos comigo.

Recebo o carinho das pessoas que aqui frequentam de diversas formas: se tornando seguidores, deixando recados, assinando o livro de visitas, mandado um e-mail carinhoso...etc.
Fico feliz e realizada quando alguém diz que a mensagem aqui postada, ou um texto escrito por mim lhe fez bem. É uma alegria e uma sensação de dever cumprido. Pois é isso que quero: levar coisas boas para as pessoas! Somente isso!

Mas para criar tudo, é preciso tempo e dedicação.
Gosto de pesquisar as mensagens que aqui serão postadas.
Gosto de encontrar as imagens de pássaros e flores que tenham a ver com o blog, para ilustrar os textos e as mensagens tornando a leitura mais agradável.

Fico horas escrevendo um texto, pensando e repensando no que será dito. Não sou uma escritora, mas tento ser clara nas minhas colocações. Não tenho o dom da escrita como Martha Medeiros por exemplo, mas tento dar o melhor de mim dentro das minhas limitações, que são muitas.

Então um dia, alguém acessa o seu blog e decide copiar tudo o que você posta!

O texto que você demorou horas para escrever é levado com um simples Ctrl+C e um Ctrl+ V.
E pior: não citam o teu nome, não citam a fonte...nada!

Não respeitam o teu tempo que é a coisa mais preciosa que você tem, pois é limitado.
É como se entrassem na tua casa, não te dissessem nada e limpassem os pés nas tuas roupas.
Uma total falta de respeito e consideração.
Copiam posts inteiros ( a mensagem escolhida e a imagem) e não citam a fonte.
Fazem uma cópia do teu blog  na maior cara de pau.

Entram aqui, sorrateiros, só para sugar...e o nome do teu blog não é citado em nada! Não está nem na lista de blogs favoritos da pessoa. Aliás nem seguidor seu ela é! Ela só usa seu blog como arquivo para criar o dela.

E eu pergunto: pra que ter um blog nessas condições? Se não quer ter trabalho com nada ?!!

No dia das bruxas eu digo a essas pessoas: Xô Uruca!
Vai ser criativo! Vai colocar essa “cachola” para funcionar!
Não está afim? Tem preguiça?
Entre então em: Design+ configurações+ outro e clique em “excluir blog”.
Fácil, rápido e indolor...tão rápido quanto “copiar posts dos outros” e não dar os créditos. 

A você amigo blogueiro fique atendo!
Faça pesquisa dos seus posts no Google!
Pegue um trecho de um texto escrito por você e faça uma pesquisa entre aspas (“”).

Encontrou o seu texto, sem créditos?
Peça que citem os créditos e se nada adiantar:
Denuncie!
Para denunciar ao blogger, aprendi com a Elaine Gasparetto em um post maravilhoso que ela explica tudo direitinho com o título: como lidar com plágio.
Acesse o blog dela e leia com atenção.

Internet não é terra sem lei!
E se estamos aqui tentando passar coisas boas para as pessoas, é fundamental ser ético e educado.
Concordam? 

Beijos com arruda! e...
Feliz dia das Bruxas!


E que as bruxas do bem façam uma limpeza
na consciência de alguns!

E aos demais...
Receba uma chuvinha de pirimpimpim
te protegendo de toda maldade! :)

Leia também:  Direitos Autorais
Imagem: Google - Veronica Lake

A vida começa...



terça-feira, 30 de outubro de 2012

Descubra o sexo do seu bebê!



Olá amigos!

Ontem fiz uma ecografia que estava fora dos planos, pois não aguentava mais de curiosidade para saber o sexo do meu bebê! 
E agora está confirmadíssimo: é um menino! :)

Mas, andando pela internet...eu tinha encontrado uma tal “tabela chinesa” que afirmava que eu seria mãe de um menino. E ontem, realmente descobri que ela estava certa!
Então resolvi posta-la aqui no blog, para as mamães curiosas como eu!

Esta tabela é conhecida há mais de 100 anos, e foi descoberta na China.
O essencial é saber a idade lunar da mãe e o mês em que o bebê foi concebido, apenas isso.

Funciona assim:

Se você nasceu em Janeiro ou Fevereiro, a sua idade lunar é a sua idade normal.
Mas se você nasceu nos meses subsequentes, a sua idade lunar é a sua idade somado com mais 1.

Exemplo: minha idade no momento da concepção era de 36 anos. Como eu nasci em janeiro eu não preciso somar nada...mas se eu tivesse nascido em março ( por exemplo) a minha idade lunar seria 37.

"Saliento que apenas nascidas em Janeiro e Fevereiro não necessitam da soma!"

Sabendo da sua idade lunar na época da concepção do seu bebê, basta então cruzar esse número com o mês de concepção dele.

E voilá!


Clique na imagem para ampliar! 

Vamos lá! Deixem comentários com os resultados!!!

Beijos cheios de alegria...

Flor do dia


“Todo o esforço do submisso é para fazer o outro se ajoelhar na frente dele. O sonho do submisso é fazer o agressivo pedir perdão. Esse é o sonho dele: que o outro se arrependa e diga que ele está certo. Ele quer que o outro se arrependa e diga que ele é um santo, enquanto o outro é um pecador. E o agressivo vê o jogo do submisso e vai se revoltando ainda mais, porque percebe a sua carência. Uma das manifestações da distorção do masculino é a falsa autossuficiência. Então, o agressivo se sente independente e, quando vê o outro se arrastando, sente raiva. Isso tem muitos desdobramentos. Estando identificado com essas máscaras, você encontra motivos para acreditar que Deus não mora dentro e que não existe paraíso, porque a vida se torna um inferno. Esse é o vale do sofrimento.”

Sri Prem Baba
imagem daqui

Para entrar no coração de alguém...


"Para entrar no coração de alguém precisamos nos colocar no nível dessa pessoa. 
Sentir-se superior quando sabemos, temos ou fazemos mais, diminui nossa influência sobre nossos filhos, alunos e funcionários. 
Hoje, derrame humildade.
Permaneça em silêncio com uma intenção e um coração aberto. 
Isso fala alto e bom som."

Yehuda Berg
Imagem Franco Borsi

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Observar sem julgar...


"Cada um deve cuidar da sua vida e olhar para dentro de si mesmo.
O tempo que se perde tomando conta do próximo poderia ser mais bem aproveitado se direcionado para o autocontrole e a autodisciplina. 
Não se preocupe com o que o outro faz ou deixa de fazer. 
Mire-se nos bons exemplos, mas não critique os maus.
Saiba observar sem julgamentos, afaste-se do que não lhe serve e invista em você mesmo.
Agindo assim, o lucro será todo seu". 

 Mônica de Castro
Imagem: google

O tempo de cada um...


"Reaprendo, todo dia, com as plantas que cultivo que cada flor tem seu próprio tempo de desabrochar.
Não desabrocha porque eu quero. Quando eu quero. Porque eu tenho pressa. 
Cada flor desabrocha quando pode
Se eu lembrasse disso com mais freqüência talvez fosse mais paciente também com o meu tempo e com o tempo das outras pessoas, nós, botões de amor que somos desse imenso jardim divino." 

Ana Jácomo
Imagem google

sábado, 27 de outubro de 2012

Um Amor de Verdade...



 "Viver uma experiência amorosa é um dos maiores prazeres da vida. Gostar é sentir com a alma, mas expressar os sentimentos depende das idéias de cada um. Condicionamos o amor às nossas necessidades neuróticas e acabamos com ele. Vivemos uma vida tentando fazer com que os outros se responsabilizem pelas nossas necessidades enquanto nós nos abandonamos irresponsavelmente. Queremos ser amados e não nos amamos, queremos ser compreendidos e não nos compreendemos, queremos o apoio dos outros e damos o nosso a eles. Quando nos abandonamos, queremos achar alguém que venha preencher o buraco que nós cavamos. A insatisfação, o vazio interior se transformam na busca contínua de novos relacionamentos, cujos resultados frustrantes se repetirão. Cada um é o único responsável pelas próprias necessidades. Só quem se ama pode encontrar em sua vida  um Amor de Verdade!"

Luiz Gasparetto
Imagem daqui

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Nada nunca está morto...



Meditação: Você pode curar sua vida!



Olá amigos! Está com um tempinho hoje?
Que tal fazer essa meditação da Louise Hay?!
Veja que maravilhosa!
Dê um pause na rádio do blog e relaxe...

 

Paz e Luz!


 

Um remédio para tempos difíceis...


Sempre que surge algum tipo de pressão, e isso ocorrerá muitas vezes ao longo da vida, é difícil entrar rapidamente no estado de meditação. Nesses casos, você tem que fazer algum tipo de relaxamento durante pelo menos 15 minutos. Só então você conseguirá se concentrar. O primeiro passo é sentar-se silenciosamente pensando que o mundo inteiro é um sonho - ele é, de fato, mas isso não o torna nada especial. O segundo é ter sempre a clareza de que, mais cedo ou mais tarde, tudo desaparecerá, incluindo você. Nada é permanente. Por fim, não esqueça que você é apenas a testemunha de um sonho passageiro, de um filme. Lembre-se de que este mundo é um sonho e tudo irá passar. A morte está se aproximando e ela é a única realidade que existe. Você não passa de um observador. Então relaxe seu corpo, observe por 15 minutos e depois medite. Quando você sentir que meditar se tornou algo simples, pare de fazer esse exercício. Se você o fizer todo dia, ele se tornará um hábito e acabará perdendo o efeito. Use essa técnica apenas em emergências, como um remédio para tempos difíceis. Certamente ela deixará o caminho aberto para que você possa relaxar. 

Osho
Imagem: google

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

O que tem que ser...


"A existência não é indiferente a você, ela não é distanciada. Ela está envolvida com você, ela cuida de você. Ela pode não cuidar do jeito como você queria ser cuidado, mas ainda assim, ela cuida da maneira que lhe é própria. E a sua expectativa pode não ser verdadeiramente a sua necessidade; pode ser exatamente o oposto."

Osho
Imagem daqui

Igual a passarinho...



Pra coração ferido...


"Pra coração ferido... Torça bem as lágrimas, uma a uma, até desencharcar o coração. Depois, estenda a tristeza pra secar no varal da autogentileza. Lá costuma bater sol..." 

Ana Jácomo
Imagem daqui

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Pequenas alegrias...



Desabafe!!!



Não dá para dissociar a saúde das emoções.
Não porque as emoções afetam diretamente a sua saúde,
mas a maneira como você lida com elas é que faz a diferença.
A palavra emoção, deriva do latim "emovere",
onde o e- (variante de ex-) significa 'fora'
e movere significa 'movimento'.

É esse "movimento", ou seja, aquilo que você faz com a sua emoção,
que a transforma em uma "maravilhosa escada" para subir,
ou um poço profundo onde enterramos nossas ambições.

Por isso, é fundamental que falemos das nossas emoções.
Que não fiquemos guardando, represando ou remoendo angústias.

Quando não jogamos para fora, 
quando não soltamos essas emoções de alguma maneira,
elas refletem diretamente nos nossos órgãos.

Por isso, as medicinas, Ayurvedica e chinesa mostram,
que a raiva atua diretamente no fígado,
o medo nos rins, e assim por diante.

Pegue ás suas emoções e transforme-as em "movimento".
O que não te agrada, o que está te incomodando, jogue para fora.
Não guarde nada que não seja "bom de se conservar".

Acho que é por isso que quase todas as "conservas" são azedas.
Quando tentamos manter algo que não nos faz bem, azedamos.

Procure alguém de confiança, amigo ou profissional,
e DESABAFE! Jogue para fora o que te incomoda.
Aprenda ainda mais a respeitar esse templo sagrado que é o seu corpo.

Da vida, leve a saudade gostosa, a amizade sincera,
o amor que se viveu ou que se vive de forma prazerosa.
A esperança que acalanta os sonhos, e a alegria, eterna companheira da alma,
que se aflige com a nossa aflição.
Tudo é passageiro, tudo é emoção.

Por isso, desabafe, solte-se, desapegue-se.
E seja muito feliz!

Paulo Roberto Gaefke
Imagem google

Maravilhoso né? :)


A vida é assim...


"A vida é assim. O aprendizado é na prática. E a regra é simples: se não posso mudar os fatos, então deixo que os fatos me modifiquem. Quero o crescimento possível, a travessia que me é proposta. Porque ficar parado e lamentando a vida que não quero, é um jeito estranho de abandonar a vida que tanto desejo." 

Pe. Fábio de Melo
Imagem daqui

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Aceite-se...



...As pessoas julgaram-no, e você deve ter aceito as idéias delas sem nenhuma investigação. Você está sofrendo de todas as espécies de julgamento das pessoas, e você está jogando esses julgamentos nas outras pessoas. E todo esse jogo desenvolveu-se além da proporção - a humanidade inteira está sofrendo disso.

Se você quiser livra-se disso, a primeira coisa é esta: não se julgue. Aceite humildemente sua imperfeição, seus fracassos, seus erros, suas faltas. Não há nenhuma necessidade de fingir outra coisa. Seja você mesmo: "É assim mesmo que eu sou, cheio de medo. Eu não posso andar na noite escura, não posso ir lá na densa floresta.". O que há de errado nisso? - é humano.

Uma vez que você se aceite, você será capaz de aceitar os outros, porque você terá uma clara visão interior de que eles estão sofrendo da mesma doença. E a sua aceitação deles, os ajudará a aceitarem-se.

Nós podemos reverter todo o processo: aceite-se. Isso o torna capaz de aceitar os outros. E porque alguém os aceita, eles aprendem a beleza da aceitação pela primeira vez - quanta tranquilidade se sente! - e eles começam a aceitar os outros.

Se a humanidade inteira chegar ao ponto onde todo mundo é aceito como é, quase noventa por cento da infelicidade simplesmente desaparecerá - ela não tem fundamentos - e os seus corações se abrirão por conta própria e o seu amor estará fluindo". 


OSHO, The Transmission of the Lamp
imagem daqui


A diferença mais linda...


"Nós também fazemos diferença para muita gente. Não estamos isolados nos nossos corpos como muitas vezes sentimos ou, por medo, talvez preferíssemos. Nossos gestos afetam outras tantas pessoas, conhecidas ou não. Fazemos parte de uma rede tecida por fios sutis de interdependência. Agora, neste instante, existem vidas sendo tocadas, de formas até inimagináveis, pela sua, pela minha.Toda vida é muita vida: ela e tudo o que abraça com os seus longos braços de energia. Se fazemos diferença, que seja com amor.É ele, sempre ele, que faz a diferença mais linda."

 Ana Jácomo
Imagem daqui

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Um tapete de violetas...



Algumas vezes eu representei cenas de perdas de entes queridos em novelas. No dia 17 de novembro de 1995, no velório de minha filha Ana Luisa, nascida em São Paulo no dia 10 de dezembro de 1976, eu não queria acreditar que estivesse vivendo aquilo de verdade.
No dia seguinte, saí para comprar alguns presentes de Natal. Afinal, meus outros seis filhos ainda estavam ali e precisavam da mãe. Mas eu parecia um zumbi. 
Numa loja, me senti mal. Tontura, fraqueza, parecia que meu peito iria explodir, que eu não iria aguentar tanta dor. Pedi à vendedora que me deixasse sentar um pouco. Eu estava quase sufocando, as lágrimas queriam saltar de meus olhos. Mas eu não queria chorar. Queria esconder minha dor, fazer de conta que aquilo não havia acontecido comigo. Bebi água, respirei fundo e saí ainda zonza.
Eu sempre acreditei que iria terminar de criar minha filha, como todos os outros. Que iria vê-la formar-se em veterinária. Vê-la casada, com filhos. Achava que teria sempre a Aninha ao meu lado. Um dia, ela me contou que quando era pequena e eu saía pra trabalhar, ela sentia medo de que eu não voltasse. Por isso ficava sempre na porta de casa me olhando até eu sumir de sua vista. Por isso vivia grudada em mim.
Imagino que ela já pressentia ainda criança, que iríamos nos separar cedo. Só que foi ela a ir embora. Foi ela que saiu e não voltou mais. Foi ela que me deixou com a sua saudade. Para amenizar a falta, o vazio que ela deixou, eu ficava horas revendo os vídeos mais recentes com suas imagens. Nossas viagens, festas de aniversários, a formatura da irmã, seu jeitinho lindo tão meu conhecido de sentir vergonha.
Ela com o primeiro e único namorado. O gesto característico de arrumar os cabelos. A sua primeira apresentação de piano. Nesse vídeo então, eu ficava namorando suas mãos de dedos longos e finos. Até hoje eu me lembro de cada detalhe das mãos da Aninha. Assim como me lembro de cada detalhe de seus pés, do seu rosto...
Dali pra frente, o que mais me chocava e surpreendia era que todo o resto do mundo continuava igual. Como se nada tivesse acontecido: o sol nascia e se punha todos os dias, as pessoas andavam pelas ruas. O mesmo movimento, barulho. O mundo continuava a girar. Tudo, tudo igual. Só na minha casa, na minha família, dentro de mim, é que nada mais voltaria a ser como antes. Faltava minha filha, Ana Luisa!
Eu passava, quase diariamente, nos lugares comuns: o colégio Imaculada Conceição, em Botafogo. Cinema, lanchonete, restaurante, o metrô, onde tantas e tantas vezes viajamos juntas. A loja das comprinhas, o shopping, o parquinho, o clube onde fazia natação. A praia de Botafogo onde ela foi atropelada, o hospital Miguel Couto, onde passamos as horas mais angustiosas de nossas vidas.
O cemitério São João Batista, onde repousam seus restos mortais. Até hoje cada um desses lugares me lembra alguma coisa de minha filha. Até hoje guardo as lembranças de seus abraços, seus chamegos, o cheirinho da sua pele, o calor, seu carinho e aconchego. 
Ana vivia literalmente pendurada em mim. Já grandona, maior que eu, mas sempre como se fosse meu nenê pedindo colo.
Saudade. Saudade. Saudade, minha Aninha.
Não fosse a minha fé e a convicção de que a vida não termina com a morte, não fossem os outros filhos que ainda precisavam de mim, acho que teria pirado. Além da família, o trabalho, a terapia e o estudo da doutrina espírita me deram forças para superar a separação e a falta da Ana Luisa.
Sou e serei eternamente grata ao meu Pai do Céu, porque fui agraciada com muitos sinais de que a separação é apenas temporária.
Alguns dias após sua passagem entrei em seu quartinho que ficou inundado pelo cheiro de rosas. Instintivamente fui olhar pela janela. Naturalmente o cheiro não vinha de fora. O perfume intenso era só ali dentro.
Um mês depois, no grupo que eu frequentava no Centro Seara Fraterna, minha filha se manifestou. Ainda meio confusa pela mudança abrupta e repentina, mas já consciente de sua passagem. Naquela noite, o buraco no meu peito que parecia uma ferida sangrando, mudou de aspecto. Continuava a doer, mas a certeza de que minha filha continuava e continua viva em alguma outra dimensão me trouxe uma nova perspectiva. A de que eu poderia chorar pela sua ausência, nunca pelo seu fim.
Dali pra frente, algumas vezes vi, em outras pressenti, sua essência ao meu lado. No decorrer desses doze anos, recebi, por acréscimo de misericórdia, um bom número de mensagens dela. Uma das últimas foi através de um médium reconhecido, que foi fazer uma palestra num evento que eu apresentava. 
Sem que eu esperasse ou solicitasse, ele disse que via uma jovem ao meu lado – me descreveu exatamente minha filha - e que ela me apontava para ele dizendo: - é esta aqui, ó !!! Esta é que é a minha mãe... 
Quando me sentei, ele disse que ela sentou-se no meu colo. Entre as várias coisas no recado que me mandou, encerrou dizendo que as violetas (enceno a peça “Violetas na janela” há 11 anos) que ela cultiva onde se encontra, não serão colocadas na janela, e sim, serão usadas para fazer um tapete de flores para eu pisar quando chegar lá.

Depoimento da atriz ANA ROSA da peça, 
Violetas na Janela sob a morte da filha Ana Luisa...
por Reinaldo Mendes da Silva
Imagem daqui





---------------------------------------------

Achei esse depoimento lindo...e tenho certeza que será um "carinho"
no coração de muitas mães que acreditam na espiritualidade e que
perderam seus filhos.

Paz e Luz!

A vida é tão amorosamente surpreendente que...


"A vida é tão amorosamente surpreendente que, às vezes, no auge da nossa tristeza, ela aparece com um presente que faz diminuir o tamanhão todo da nossa dor. Ele não cura, mas a gente lembra que a oportunidade de viver é algo bem maior, bem mais precioso, bem mais bonito, enquanto o desembrulha."

Ana Jácomo
Imagem google

domingo, 21 de outubro de 2012

Para uma tarde de domingo...


Olá amigos!
Vamos tomar um cafezinho com pão caseiro para terminar bem esse domingo?! hã?


Então presta atenção na receita da Sheilinha que é um sucesso por aqui! :)
Não tem erro!

  • 1 kg de farinha de trigo
  • 1 envelopinho de fermento biológico
  • 1 colher  de chá de sal
  • 3 colher de sopa de açúcar
  • 1 ovo
  • ½ xícara de azeite
  • Erva doce a vontade (se quiser)
  • 500 ml de água 
Essa quantidade de água dá bem certinho para a quantidade de farinha!
Depois de misturar tudo e sovar, deixe descansar por 15 minutos!
Esse descanso é muito importante! Deve ser respeitado! Hã!!!
Depois de 15 minutos, sovar a massa mais um pouco e dividir em 6 partes.
Faça as bolinhas e distribua em uma forma untada.
Faça cortezinhos na massa para ficar fofo :)
Deixe crescer por ½ hora e depois asse em forno médio por 40 a 45 minutos!
E pronto!
Depois é só se deliciar com uma manteiguinha e uma xícara fumegante de café!
hummmmm
E os farelinhos...jogue no quintal para os passarinhos! :)

Beijos gulosos

----------------------------------------

Postagem participando do Mosaico:



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...