Pesquisar este blog

Tradutor

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Para melhorar as suas energias!

Olá queridos amigos!

Hoje venho compartilhar com vocês algo que me fez muito bem! E se me fez bem, pode fazer pra você também! Parece um slogan de campanha hã...rsss

Sabe aqueles dias que nos sentimos pesados, sugados, parecendo que estamos carregando o mundo nas costas...pois é...
Ontem eu estava assim, estava chateada com algumas coisas. E quando estamos assim é incrível, parecemos um imã! Estava me sentindo mal e tive que fazer algo...

Então me lembrei do que li em um site de uma querida bruxa há tempos atrás. Ela ensinou a quebrar este padrão de energia com algo muito simples de se fazer...

Você vai precisar de:

- Uma bacia
- 3 punhados de sal grosso
- 7 folhas de Eucalipto
- Água morna

Coloque a água na bacia e junte os demais ingredientes!

Antes de começar, lave bem as mãos e o rosto. Procure um lugar tranqüilo, acenda um incenso de sua preferência (se quiser é claro) e coloque uma música agradável e relaxante. E mergulhe seus pés nesta composição, feche os olhos e relaxe...

É uma sensação tão agradável que começa a subir pelos pés, passa pela coluna e chega ao topo da cabeça. É maravilhoso! Em alguns minutos parece que saiu um peso das costas, toda aquela sensação ruim foi neutralizada.

Sabemos do poder do Sal grosso, e o seu poder de neutralização. Isso não é bruxaria não...é física!
Muitas vezes a gente se sente tão mal, que não temos ânimo e iniciativa de fazer algo para mudar a situação. Um simples banho, ou um escalda pés podem fazer milagres! Ahã!

Ah..não esqueça de deixar uma toalhinha para secar os pés! Não façam como eu que esqueci!rsss

Depois coloque a água do escalda pés no vaso sanitário e puxe a descarga ( retirando as folhas de eucalipto antes, é claro).

Outra dica muito boa é depois de tomar um banho ou fazer um escalda pés é tomar um chá de gengibre. Vou explicar o porquê:

Nas minhas andanças pelo Rio Grande, fui morar em uma cidade que era muito mística. E lá participei de um grupo de estudos. Eram pessoas que se reuniam para estudar e fazer meditações. E antes de começar todos tomavam um chá de gengibre! Sim! Um simples chazinho de gengibre. Elas disseram que foram orientadas a tomar o chá através de uma canalização, e que este tem o poder purificador. Ele ajuda a equilibrar os chakras e assim facilita a conexão com as energias mais sutis. Já li em vários lugares sobre o poder do gengibre, é só colocar no Google que vocês terão uma lista grande de benefícios. Mas este de purificar a alma, eu não sabia e desde então, faz parte da minha vida.

O chá que faço é assim:
- 1 lt de água
- 6 fatias fininhas de gengibre.

Deixe ferver e ao levantar a fervura desligue e abafe. Depois tome uma xícara de chá, na temperatura que você preferir. Eu gosto de morno...quase quente.
Gengibre é maravilhoso! Sim amigos! As plantas tem muito poder! Veja neste post.

Bom, fica ai a minha dica...
E depois de limpinhos e cheirosinhos...venham me visitar e ler os textos e as mensagens do blog Passarinhos no Telhado! hã
Espero você com a casa limpa, perfumada, arejada e adornada com amor....sempre!

Beijos limpinhos...

Reflexos da alma...

Peça para um publicitário descrever um botão de camisa, você ficará deslumbrado com tantas funcionalidades que ele vai achar para o botão e vai até mudar o seu conceito sobre o "pobre" botãozinho.
Peça para uma pessoa apaixonada descrever a pessoa amada, aquela pessoa bem "feiazinha" que você conhece desde a infância e vai até pensar que ele está falando de outra pessoa.
O apaixonado enche a descrição de delicadezas, doçura e gentilezas, transformando a fera em bela em instantes.
Peça para o poeta descrever o sol e a lua, e você vai se encantar pelos poderes apaixonantes da lua, pela beleza do sol que irradia seus raios como se fossem gotas do milagre divino no arrabalde da tarde quente onde o amor convida os apaixonados para viver a vida intensamente...
Peça para um economista falar da economia mundial e tome uma lição de números e mercados, bolsas e câmbios oscilantes, inflação e mercados emergentes, e se não sair de perto, vai acreditar que em breve teremos a maior recessão da história e que a China é o melhor lugar do mundo para se viver.
Agora, peça para uma pessoa desanimada ou depressiva falar da vida, do sol, da lua, dos botões, das rosas e do amor para você ver.
Pegue um banquinho e um lenço e sente-se para chorar. É só reclamação, frustração, dores, misérias e desconfiança geral. Você sente a energia te contaminando, vai fazendo mal, vai te deixando sem forças, porque os desanimados, os reclamões e depressivos tem o poder "vampiresco" de sugar energias do bem e transformar em medo, e o medo paralisa as pessoas de tal forma que fica difícil até o mais simples pensar.
E você?
Como é que você descreve a sua vida?
Quem é você para você mesmo?
Como seria um comercial da sua vida?
Como você venderia o produto "você"?
Você é barato, tem custo acessível ou é daquelas figuras caras,daquelas que não tem tempo para perder com a tristeza e com o passado?
São os teus olhos que refletem o que vai na sua alma, e o que vai na sua alma se reflete na qualidade de vida que você leva.

Texto de Paulo Roberto Gaefke

Obrigada Tina! Por ter me enviado este lindo texto! Adorei! :)

terça-feira, 29 de novembro de 2011

E continuo...




O verdadeiro e o falso religioso...

Seus sonhos são os seus desejos reprimidos. A boa pessoa está em contínuo conflito. Sua vida não é de alegria; ela não pode rir de verdade, ela não pode cantar, não pode dançar.

Em tudo, continuamente ela faz julgamentos. A sua mente está repleta de condenação e julgamento; e porque ela própria está tentando arduamente ser boa, ela também está julgando os outros pelo mesmo critério.

Ela não pode aceitá-lo como você é; ela pode aceitá-lo se você preencher as suas demandas de ser bom. E porque ela não pode aceitar as pessoas como elas são, ela as condena.

Todos os seus santos estão cheios de condenação para com todo mundo: todos vocês são pecadores. Essas não são as qualidades da pessoa religiosa autêntica.

A pessoa religiosa não tem julgamento, não tem condenação.
Ela sabe uma coisa: que nenhum ato é bom, nenhum ato é mau; a consciência é boa e a inconsciência é má.

Em inconsciência, você até pode fazer algo que pareça bom para o mundo inteiro, mas para a pessoa religiosa isso não é bom.

E você pode fazer algo mau e ser condenado por todo o mundo, exceto pela pessoa religiosa.

Ela não pode condená-lo, pois você está inconsciente.

Você precisa de compaixão, e não de julgamento, e não de condenação...

Você não merece o inferno, ninguém merece o inferno.


Osho

Produzimos a energia do medo quando...



Produzimos a energia do medo quando queremos algo e começamos a nos perguntar, como, quando, de que maneira...gerando preocupações, dúvidas e estresse. Defina o que você quer e deixe que os comos vão se organizando naturalmente.
Pratique voltar sua atenção para o presente: o que quero agora, neste momento? Quando o seu foco é no que você quer viver ou sentir hoje, não cria espaço para você criar a ficção mental do medo!

Rosalia Schwark


A nossa própria opinião...



“Acredita no teu próprio pensamento. (…) Senão amanhã um estranho dirá, com magistral bom senso, exatamente o que pensamos e sentimos desde sempre, e seremos forçados a receber de outrem, envergonhados, a nossa própria opinião.”

(Ralph Waldo Emerson)

Definitivamente não...







segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A grama do vizinho...



Como diz Goya, “os sonhos da razão produzem monstros”. Que cara sábio! Os sonhos da razão são as ilusões que criamos em relação ao brilho da vida alheia; os monstros são os fantasmas que nos põem para baixo assoprando nos nossos ouvidos o quanto somos infelizes em reação à pseudo-felicidade do outro. Na verdade, ninguém brilha 24 horas por dia, nem transa; nem ama; nem arrasa no trabalho. Mas, pelo jeito, você anda se iludindo 24 horas e perdendo energia e tempo preciosos que poderiam estar sendo usados para fazer sua vida brilhar por si só.


Fernanda Santos


Reduzindo a energia do medo...



Para vencer a energia do medo, utilize uma atitude de autenticidade:
-Ao invés de focar sua atenção em quem uma pessoa ou situação precisa ser para você se sentir seguro, foque sua atenção em quem você deseja expressar ser nas situações e com as pessoas.
Tire o foco das coisas externas que geram vulnerabilidades e foque em você!!!! Com esta atitude você reduz a energia do medo dentro do seu cérebro.

Rosalia Schwark

Vastidão...



"Você tem toda razão: é tudo vasto. Essencialmente vasto. Generosamente vasto. Assustadoramente, também.E essa vastidão, não importam os caminhos que escolhemos e trilhamos para encontrá-la, incluindo os tropeços, as mancadas e os cansaços todos da nossa experiência, só quer nos levar a fazer contato com a vastidão do nosso amor. Que não tem limites. Que tudo pode curar. Que tudo pode abraçar. Que tudo pode transformar[...]"


Sobre os obstáculos...




domingo, 27 de novembro de 2011

Visão bonita...




















"Se um dia alguém fizer com que se quebre a visão bonita que você tem de si, com muita paciência e amor reconstrua-a.
Assim como o artesão recupera a sua peça mais valiosa que caiu no chão, sem duvidar de que aquela é a tarefa mais importante, você é a sua criação mais valiosa."

[Brahma Kumaris]



O outro lado da raiva...

Quando algo é invisível, você pode continuar vendendo, não há qualquer dificuldade para se fazê-lo. A Índia tem vendido bens invisíveis para o mundo, mas nenhum bem visível. Naturalmente eles ficam com raiva de mim porque eu insisto que os bens devem ser visíveis, que vocês estão carregando uma caixa vazia, que não existe nenhum ganso dentro da garrafa. E por cinco mil anos eles têm feito esses bons negócios – e eu estou destruindo todo o fundamento deles.

É natural que eles estejam com raiva de mim. Mas a raiva simplesmente revela o medo. Lembre-se sempre: a raiva é o medo estancado à sua frente. É sempre o medo que se esconde atrás da raiva; medo é o outro lado da raiva. Sempre que você fica com medo, a única maneira de esconder o medo e ficar raivoso, porque com o medo você fica exposto. A raiva cria uma cortina ao seu redor; você pode se esconder atrás da raiva. A mente indiana está se realmente ficando com medo de mim. E não é apenas a mente indiana mas todas as outras mentes no mundo que estão fazendo esse mesmo tipo de negócio de explorar bens invisíveis. Todos eles estão ficando com medo.

Quando eles ficam raivosos comigo, eu sei que acertei o ponto exato. Eu me divirto com isso. Eles têm estado fingindo amor, compaixão, solidariedade, compreensão e eu estou expondo o verdadeiro âmago deles. Sem saber o que estão fazendo, eles estão fazendo o que eu quero que eles façam. Eles estão em minhas mãos. Qualquer um que fique com raiva de mim está sendo pego por mim. Ele entra num redemoinho. Eu irei chocalhá-lo, irei assombrá-lo. Mais cedo ou mais tarde ele irá tirar as roupas e ficará nu diante do sol. Isso é o que está acontecendo. Quando estão com raiva de mim eles estão realmente mostrando que foram expostos.

E a única maneira de se defender é sendo agressivo. Eles estão se defendendo, mas eles só conseguem se defender se eles se tornarem agressivos. Sua raiva está simplesmente revelando sua impotência.

Osho


sábado, 26 de novembro de 2011

E quando as pessoas nos são ingratas?

De vez em quando surge esse tema em atendimentos e emails que recebo. Pessoas magoadas, desgostosas com a família, funcionários, parceiros ou com um mundo por considerarem que o ser humano em geral é ingrato. São casos onde as pessoas relatam que estão cansadas de ajudar os outros e ver que não vale a pena, pois acabam no final das contas não tendo reconhecimento. Muitas vezes acabam sendo desrespeitadas, traídas, ou abandonadas.

E por que será que isso acontece? Bem, quem passa pela experiência vai dizer que a culpa é do “ser humano”, alguns vão dizer que a humanidade não presta e outros vão falar que a natureza das pessoas é ingrata mesmo. Mas vamos analisar mais atentamente a questão.

Conheço muitas pessoas altruístas que não tem essa sensação de que o mundo é ingrato, mesmo quando procuram ajudar os outros. Então certamente há uma forma diferente de sentir, agir e interpretar o mundo.

Existem formas diferentes de ajudar as pessoas. Diferentes tipos de sentimentos podem impulsionar alguém a ajudar. E dependendo do tipo de sentimento no qual a pessoa se sente motivada a agir, a ajuda vai gerar melhora nos relacionamentos ou irá causar problemas. Existem formas equivocadas de ajudar os outros. Vou explicar melhor.

Primeira forma equivocada: Quando ajudamos baseados na nossa necessidade em ajudar, sem que outro realmente queira ou solicite a ajuda. Vemos alguém passando por uma dificuldade. Sabemos que há um caminho mais fácil ou temos condições de emprestar ou fazer algo que possa facilitar a vida da outra pessoa. Vendo essa situação, muitos vão ter um impulso de oferecer as soluções se colocando a disposição, pois sentem que um bom ser humano deve ser prestativo. Uns chegam a insistir em ajudar. O outro, que teoricamente precisa, nunca busca a ajuda oferecida. O resultado é um sentimento de frustração daquele se ofereceu para ajudar.

Essa frustração ocorre por que o bom samaritano necessita de pessoas que precisam dele, para que ele possa se sentir importante. É ele quem tem uma necessidade emocional a ser preenchida e acaba tentando suprir essa carência de uma forma disfarçada, com uma fachada de altruísmo. O outro então está lhe negando a oportunidade de se sentir bem. Sendo assim muitos ficarão frustrados e outros até ficarão com raiva do terceiro que não quis ser ajudado.

Mas por que será que outro não quis a ajuda? Não temos como saber. As pessoas têm processos inconscientes que não há como descobrir. Não conseguimos entender nosso próprio comportamento, imagine se conseguiremos entender o de outras pessoas. Saber a razão não importa. O que importa é reconhecer que, tentar ajudar os outros baseado em uma necessidade própria de ter um vazio preenchido acaba em frustração.

Segunda forma equivocada: Ajudar para ser reconhecido. Mesmo quando o outro aceita a ajuda, se o sentimento que move você a ajudar for a sua própria necessidade de ser reconhecido, haverá uma grande tendência que o outro não aproveite como você acha que deveria e não demonstrará gratidão como você esperava. Novamente o resultado é a frustração do bom samaritano. Isso ocorre em parte por que quem sente necessidade de ser reconhecido irá atrair mais situações onde essa necessidade vai reaparecer.

O argumento que ouço de muitos é que elas ajudaram sem esperar nada em troca, nem mesmo o reconhecimento. Se isso fosse verdade, não ficariam magoadas nem tristes quando o outro não agisse conforme suas expectativas. Existe sempre nesses casos uma necessidade oculta em ser reconhecido que nem mesmo a pessoa está consciente. Mas essa necessidade sempre irá se revelar depois no relacionamento.

Terceira forma equivocada: Quando ajudamos com o sentimento de que outro não consegue se virar sozinho. Mais uma vez, é a nossa própria necessidade de sermos importantes. As pessoas sempre conseguem dar um jeito em suas vidas, mesmo que esse jeito seja continuar com um sofrimento por tempo indeterminado. Mas elas precisam dessas dificuldades para o seu próprio crescimento.

Observe o seguinte mecanismo: Uma criança que está aprendendo a comer sozinha mas que ainda se lambuza toda. O que acontece quando a mãe tenta ajudá-la a se alimentar? A criança fica zangada, não quer ajuda. Ela deseja aprender sozinha com a dificuldade. E acabará aprendendo, desde que a mãe permita e não interfira tanto. A criança fica zangada por que a mãe está lhe tirando a oportunidade de crescimento.

Filhos de pais super protetores muitas vezes demonstram raiva e ingratidão quanto mais são “ajudados” pelos pais. Isso acontece por que inconscientemente estão sentindo que seus pais lhe tiram as oportunidades de aprendizado. Ainda que o filho aceite todas as ajudas oferecidas, esse sentimento de estar sendo prejudicado fica escondido e acaba de se manifestando de forma negativa no relacionamento.

Vejo também esse mesmo processo ocorrer em a relação a outros parentes e pessoas que não são da família.

Então, sempre que a sua ajuda servir para tirar as dificuldades que o outro precisa para crescer o resultado será a falta de reconhecimento e a ingratidão. Mesmo que o outro aparentemente aceite a ajuda. Inconscientemente ele está se sentindo prejudicado. A maior ajuda que ele precisa é que deixem ele passar pelas dificuldades. Mas nem ele mesmo sabe disso. Por isso, trata-se de um ato de amor para com o próximo deixar que ele enfrente seus desafios. Ainda que essa pessoa peça ajuda temos sempre que nos perguntar: Estamos ajudando essa pessoa a crescer com a nossa ajuda, ou estamos contribuindo para que ela fique estagnada? Há uma linha tênue. No reino animal, as mães sabem exatamente o quanto devem ajudar os filhotes e como ir gradativamente deixando com que eles se virem sozinhos.

Pessoas que conseguem ajudar na medida certa, sem prejudicar o crescimento de terceiros, e sem estar sendo guiadas pela própria carência interior em ser reconhecida, são sempre respeitadas e reconhecidas. O mais interessante é que elas não precisam do reconhecimento, mas ele acaba vindo mesmo assim, pois as pessoas vão se sentir gratas lá no fundo por terem sido verdadeiramente ajudadas em seu crescimento pessoal. Para verificar essa verdade, observe como os filhos tratam pais que sabem dar limites e deixam que eles se virem e compare com o tratamento que os filhos super protegidos dão a seus pais.

Além de desvendar esse mecanismo, é importante limparmos com a EFT os sentimentos de necessidade de reconhecimento e outras carências. Dissolvendo essa negatividade interior, nosso comportamento muda e passamos a sentir, sem precisar fazer esforço, qual a melhor forma de ajudar. Bem, esse assunto tem mais aspectos importantes. Devo voltar a escrever sobre esse assunto.

André Lima - EFT

Achei perfeito este texto!!! Perfeito mesmo!!!

O grande e o pequeno...



sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Briga de energia...



Por que você espera tanto dos outros?
Por que dá tanta importância para o que eles dizem? Não ligue.
As pessoas fecham a cara hoje e amanhã abrem.
Toda vez que você recebe uma ofensa, o ofensor se sente vitorioso.
Toda vez que você rejeita uma ofensa, a energia volta para a pessoa que a ofendeu.
Ela sofre o impacto da própria energia, se arrepende do que fez e então muda.
A única maneira de se defender nesse mundo é não aceitar nenhum desaforo.
A pessoa fez desaforo? Não estou nem ligando.
Fez-me mal? Pode fazer.
Quis-me mal? Pode querer.
Assim, a gente vai deixando todo o mal lá fora, não aceita nada e não entra nada.
O que acontece?
A energia volta para a pessoa. E, dai a pouco, ela vai se sentir culpada. Então, se arrepende do que fez e vai pedir desculpas.
Mas se a pessoa é rude e indelicada e a gente se magoa com aquilo, guarda aquela energia, ela se sente vitoriosa. Na verdade, ela não está querendo ofender, mas exercer seu poder de se sentir superior. Olha para você como inferior a ela, porque você se põe de inferior. E por que você se sente inferior? Porque você parece uma lata de lixo que pega toda a porcaria que os outros mandam. Leva a sério tudo quanto é desaforo, tudo quanto é besteira. Mas se você não pega, dá de ombros e diz:
- É a pessoa que está criando essa energia ruim de antipatia e não vou pegar. Vai ter que engolir o que ela mesma está criando.
Aí, minha filha, tudo muda. Estou ensinando como se defender da briga de energia, do jogo do poder. Se você ganhar, tem que ser mais forte que o outro. Senão, você vai perder...

Calunga
(Luiz A. Gasparetto texto do livro: Um dedinho de prosa.)



Frase do dia...



De onde vem seus desejos?



De onde vem seus desejos?
Das experiências que você passa, principalmente das experiências contrárias do que você gostaria de experimentar, nascendo os desejos e assim sua natureza expansiva.
Cada vez que você formula um desejo, ele já está a caminho!
E porque não chega ou demora?
Porque você saiu da direção e não é atingido por ele- você está envolvido com a energia do medo, da falta, das dificuldades. Você se envolveu com os problemas , quando na verdade era apenas para você aprender a desejar melhor!!!!!!

Rosalia Schwark



quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Quem é feliz...



"Quem é feliz não conta, não espalha, não grita aos quatro cantos. Quem é feliz, satisfaze-se por ser. E sabe que felicidade anda coladinha na inveja. Quem é feliz não precisa provar nada, simplesmente é. As pessoas felizes demais nunca me passaram confiança. Essa coisa de que a vida é uma festa e não existe nada errado, não me brilha aos olhos. Feliz é quem conhece o lado ruim e o respeita. Feliz é quem já foi infeliz. Somente quem já foi infeliz pode entender que a tristeza traz um punhado muito bom de aprendizados. Felicidade não é sobre quem grita mais alto; é sobre quem sorri mais fundo...."

Clarissa Corrêa


O fazer e o não-fazer

Esta é uma questão que mais cedo ou mais tarde vai aparecer para todo mundo. O que você está fazendo aqui? A questão surge porque a minha ênfase não está no fazer. Eu estou lhe ensinando não-fazer. A questão é relevante. Se eu estivesse lhe ensinando alguma coisa para ser feita, a questão não iria surgir, porque você estaria ocupado.

Se você for a alguma outra pessoa - existem mil e um ashrams no mundo onde eles ensinam a fazer alguma coisa. Eles não o deixam desocupado porque eles pensam que uma mente desocupada é oficina do diabo. Meu entendimento é totalmente, diametralmente oposto. Quando você está absolutamente vazio, Deus preenche você; somente quando você está não-ocupado, você é.

Enquanto você está fazendo alguma coisa, isto é apenas na periferia. Todos os atos estão na periferia; todos, sejam eles bons ou maus. Sendo um pecador, você está na periferia; sendo um santo, você está periferia. Para fazer o mal, você tem que sair de si e para fazer o bem, você também tem que sair de si.

Osho

Olhar na contramão...



[...]Não me importa se eu olhar na contramão: quero ter a coragem de sustentar a minha crença de que o amor, a paz, a luz, hão de prevalecer na Terra, e, enquanto isso não acontecer, quero dirigir também a minha energia ao propósito de que prevaleçam em mim.

Ana Jácomo


Uma escolha...



"Estar bem e feliz é uma questão de escolha e não de sorte ou mero acaso.
É estar perto das pessoas que amamos, que nos fazem bem e que nos querem bem.
É saber evitar tudo aquilo que nos incomoda ou faz mal,
não hesitando em usar o bom senso, a maturidade obtida com experiências passadas ou mesmo nossa sensibilidade para isso.
É distanciar-se de falsidade, inveja e mentiras.
Evitar sentimentos corrosivos como o rancor, a raiva e as mágoas, que nos tiram noites de sono e em nada afetam as pessoas responsáveis por causá-los.
É valorizar as palavras verdadeiras e os sentimentos sinceros que a nós são destinados.
E saber ignorar, de forma mais fina e elegante possível, aqueles que dizem as coisas da boca para fora ou cujas palavras e caráter nunca valeram um milésimo do tempo que você perdeu ao escutá-las."

Nietzsche ou Fernanda Young...eis a questão!
Fica registrado a minha dúvida! ok

Frase do dia...



Calvice na linguagem do corpo...

Muitos homens e mulheres que hoje ou têm queda de cabelos ou que já sejam calvos, provavelmente se sentirão ofendidos ao lerem esta mensagem. Gostaria, entretanto, que isso não acontecesse e que houvesse compreensão por parte do leitor, pois o que eu digo a seguir, servirá de apoio para o seu autoconhecimento e desenvolvimento comportamental.Toda observação colocada neste livro foi desenvolvida através de pesquisas e estudos com bases milenares nas medicinas chinesa, japonesa e indiana. Portanto, minha intenção é fazer com que todas as pessoas passem a se conhecer melhor e, a partir daí, sejam capazes de trabalhar seu próprio aperfeiçoamento.

Kami é a palavra chave para a saúde dos cabelos. Kami, em japonês, além de significar cabelo, significa também os superiores e Deus. Os cabelos nascem na parte superior da cabeça, que é o ponto mais alto do nosso corpo. A queda de cabelos acontece àqueles que desrespeitam seus superiores, seja por palavras, seja pela conduta ou mesmo porque os ignoram.
Até muitos líderes religiosos são calvos na região parietal. Eles acreditam que estão despertando espiritualmente, entretanto, apenas possuem o conhecimento da palavra de Deus e tornam-se muitas vezes presunçosos.
Pessoas que desejam brilhar e se destacar muito têm tendência a se tornarem calvas, pois tornam-se extremamente orgulhosas.
Existem dois fatores muito fortes que causam a calvície: a tendência a controlar tudo (não podendo ser contrariado) e um orgulho fortíssimo que chega a cegar. Há também o caso das pessoas hipersensíveis que se magoam com atitudes, até sutis, de outras pessoas e costumam guardar esse ressentimento no coração por muito tempo ou... para sempre!
Aqueles que vivem inconscientemente sempre se defendendo de ataques imaginários e, como defesa, fazem acionar suas glândulas sebáceas, causam maior oleosidade no couro cabeludo e costumam ser vítimas da calvície.
Alguns animais, quando se sentem acuados, liberam um odor repelente, mudam de cor ou produzem um aumento de gordura na pele para se tornarem escorregadios e conseguir uma chance maior de escapar do inimigo, ou de afugentá-lo. Isto acontece também com o ser humano, desde que ele possua certas crenças primitivas que o levem a se defender constantemente. Este fato não significa absolutamente que uma pessoa assim seja primitiva em sua conduta, mas apenas que ela age acreditando que este mundo é hostil.
Quanto à afirmação de que a calvície é um problema hereditário, o que posso dizer é que o que é transmitido de pai para filho não é o problema em si, mas o temperamento atávico que se desenvolve pela educação. Em outras palavras o que acontece é que o pai traz consigo uma crença que despeja inconscientemente em seu filho, inclusive através de atitudes.
Hoje os cientistas provam, por testes em laboratórios, que os genes sofrem transformações com o auxílio de substâncias orgânicas e químicas. Outras experiências comprovam a eficiência e o poder da energia elétrica nervosa do próprio indivíduo transformando sua escala genética.
É cômodo aceitar que a verdade da calvície está na natureza humana.
A natureza humana é perfeita! Nós é que, por falta de conhecimento, agimos na defesa ou no ataque, provocando sérios danos ao nosso organismo.


Trecho do livro Linguagem do Corpo da Cris Cairo
Leia mais sobre Linguagem do Corpo AQUI!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...