Tradutor

domingo, 10 de abril de 2011

Totalidade


Totalidade é a qualidade daquilo que é inteiro, que integra em si todas as dualidades, os opostos, de forma harmoniosa. Mas alcançar esse estado de ser só é possível se estivermos dispostos a galgar com paciência os degraus necessários. Não é algo que vem de repente, mas que resulta de uma prática gradual, que começa nas mais simples situações da vida. Para isso, é necessário estarmos alertas, não no sentido comum do termo, que pressupõe ansiedade e uma postura defensiva, mas sim conscientes e focando toda a nossa atenção naquilo que ocorre dentro de nós a cada momento. Sentir como reagimos interiormente a cada um dos acontecimentos da vida é o primeiro passo para conhecermos a fundo nossa própria natureza, nossa essência verdadeira.

Estar presente de forma total em todos os acontecimentos do dia-a-dia significa relacionar-se consigo próprio com amor, compreensão e tolerância. Desse modo, a cada momento nos aprofundamos mais em nossas contradições e adquirimos a clareza necessária para resolvê-las sem sofrimento. Relacionar-se harmoniosamente e de forma consciente consigo próprio é o passo essencial para aprender a construir relacionamentos harmoniosos com o resto do mundo. Viver conscientes de nossas emoções e das motivações que se ocultam por trás de cada uma delas, pode ser de grande ajuda tanto para que nos libertemos das emoções negativas como para que nos entreguemos por inteiro às emoções positivas. Se fizermos disso uma prática diária, veremos que, com o tempo, isto se tornará algo natural, uma atitude sem a qual não conseguiremos mais viver. E um belo dia perceberemos - espantados - que atingimos nosso estado original, a totalidade.

“A alegria de rever um amigo...

Na alegria de ver um amigo há muito ausente, penetre essa alegria. Entre nessa alegria e torne-se uno com ela - qualquer alegria, qualquer felicidade. Isso é apenas um exemplo... De repente você vê um amigo que não via há muitos e muitos dias ou há muitos, muitos anos. Uma alegria repentina domina você. Mas a sua atenção estará no amigo, não em sua alegria. Então você estará perdendo alguma coisa e essa alegria será momentânea. Sua atenção está focada no amigo: você começará a falar, a se lembrar de coisas e perderá essa alegria e essa alegria irá embora. Quando você encontrar um amigo e de repente sentir uma alegria surgindo em seu coração, concentre-se nessa alegria. Sinta-a e torne-se ela e encontre o amigo permanecendo consciente e preenchido com a sua alegria. Deixe o amigo estar apenas na periferia e você permanece centrado em seu sentimento de alegria. ... Existem muito poucos momentos em que você se sente alegria, felicidade, bem-aventurança, mas você continua perdendo-os, porque você fica centrado no objeto. Sempre que existe alegria, você sente que ela está vindo de fora. Você encontrou um amigo; naturalmente, parece que a alegria está chegando de seu amigo, do fato de tê-lo visto. Esse não é fato verdadeiro. A alegria sempre está dentro de você. O amigo apenas se tornou uma situação. O amigo a ajudou a sair, lhe ajudou a ver que ela existe. E isso não acontece somente com a alegria, mas com tudo: com a raiva, com a tristeza, com a miséria, com a felicidade... Com tudo é assim. Os outros são apenas situações nas quais as coisas que estão escondidas em você são expressas. Eles não são a causa; eles não estão causando alguma coisa em você. Tudo o que está acontecendo, está acontecendo com você. Sempre esteve presente; somente que ter encontrado esse amigo se tornou uma situação em que o que estava escondido saiu se manifestou - apareceu. De fontes escondidas, se tornou aparente, manifesto.


Sempre que isso acontecer permaneça centrado na sensação interior e então você terá uma atitude diferente com relação a tudo na vida. Inclusive com emoções negativas, faça isso. Quando você estiver com raiva, não esteja centrado na pessoa que a despertou. Deixe-a ficar na periferia. Torne-se simplesmente a raiva. Sinta a raiva em sua totalidade; permita-a acontecer internamente. Não racionalize; não diga que esse homem a criou. Não condene o homem. Ele simplesmente foi a situação. E sinta-se grato por ele ter ajudado a fazer alguma coisa que estava escondida se manifestar. Ele tocou você em algum lugar e uma ferida estava lá, escondida. Agora você a conhece, assim torne-se a ferida. Com o negativo ou o positivo, com qualquer emoção, use isso e haverá uma grande mudança em você. Se a emoção for negativa, você se libertará dela ficando consciente de que ela está dentro de você. Se a emoção for positiva, você se tornará a própria emoção. Se for alegria, você se tornará alegria. Se for raiva, a raiva se dissolverá. E essa é a diferença entre emoções negativas e positivas: se você se torna consciente de certa emoção, e pelo seu tornar-se consciente a emoção se dissolve, então ela é negativa. Se pelo seu tornar-se consciente de certa emoção, você se torna a emoção, se a emoção se espalha e torna-se o seu ser, então ela é positiva. A consciência trabalha de maneira diferente em ambos os casos. Se for uma emoção venenosa, você é liberado dela através da consciência. Se for boa, bem-aventurada, extasiante, você se torna um com ela. A consciência a aprofunda. Assim para mim esse é o critério: se algo é aprofundado pela sua consciência, é algo bom. Se alguma coisa for dissolvida através da consciência, é algo ruim. .... Use a sua consciência. É como se existisse escuridão e você trouxesse a luz: a escuridão não existirá mais. Simplesmente por trazer a luz, a escuridão não estará mais presente, porque, na verdade, ela não existia. Ela era negativa, apenas uma ausência de luz. .... Se você trouxer a luz, a escuridão não existirá mais, mas aquilo que é real será revelado. Através da consciência tudo o que é negativo como a escuridão será dissolvido - ódio, raiva, tristeza, violência. Então o amor, a alegria, o êxtase, pela primeira vez se tornarão relevantes para você. Assim, ao alegremente ver um amigo há muito ausente, penetre nessa alegria”.

OSHO - O Livro dos Segredos.


Um iluminado não mais está interessado no futuro. Não há futuro no que tange a ele. Tudo está sempre no presente. A existência está sempre no presente. Toda sua alegria não é conduzi-los em direção a algum bem, mas simplesmente trazê-los de volta para si mesmos - porque tudo que é belo, tudo que é bom e tudo que é grandioso, está dentro de vocês, não em algum outro lugar. (...)


OSHO - Satyam, Shivam, Sundram


Texto de Elisabeth Cavalcante e citações de Osho

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Fico feliz com a sua companhia!
E fico mais feliz ainda quando você deixa um comentário!
Obrigada viu! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...