Pesquise no blog:

Carregando...

Tradutor

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Ego: nosso real obsessor...

Não há pior "inimigo" que nosso próprio Ego. Porém, este não é o tipo de inimigo que precisamos aniquilar, mas apenas conduzi-lo, de forma amorosa, ao seu devido lugar: parceiro entregue de nosso Eu Real. Enquanto o Ego resiste a essa idéia, ele nos manipula, sabota e determina tudo o que acontece em nossa vida, de acordo com suas necessidades e vontades mesquinhas, ignorantes e arrogantes. Ele acredita ser o único que "sabe do que realmente precisamos", e que nosso Eu Real é seu inimigo e que quer destruí-lo. Por conta disso, a cada tentativa de nosso Eu Real em se manifestar, o Ego se arma ainda mais na tentativa de interditá-lo. Para isso, faz qualquer coisa, mesmo que seja algo muito ruim para nós, o importante é nos desviar dos caminhos que nos levam ao nosso Eu Real. É por isso que vivemos nos prejudicando, enquanto estamos ocupados em culpar o mundo por nossos reveses, só para que não possamos perceber quem é o verdadeiro "culpado" de todas as nossas dores: nosso Ego.

Quanto mais evoluímos e despertamos a consciência para a nossa realidade divina e quanto mais permitimos que nosso Eu Real atue com sua poderosa presença em nossa vida, mais nosso Ego se levanta contra ele e mais busca meios de nos manipular, na intenção de sabotar toda influência benéfica do Eu Real. O Ego nos obsedia, nos fazendo prisioneiros de nossas crenças em nossos pecados, erros, culpa e medos, que tão ignorantemente, acreditamos ter. Quando nos deixamos manipular por uma força tão destrutiva quanto a de nosso Ego que está aterrorizado pela possibilidade de vir a perder o poder sobre nós, nossa freqüência vibratória cai, nossa energia fica mais densa e acabamos nos perdendo em pensamentos e sentimentos negativos e destrutivos.

Nosso Ego quer nos levar a entrar cada vez em mais desequilíbrio, e faz com que acreditemos que somos maus e que merecemos castigo, o que o faz criar mecanismos de autodestruição. Ele é incansável em seus intentos. Quanto mais nos aprisionamos nisso, mais frágeis e sensíveis nos sentimos, abrimos nossa guarda, nossa autoproteção e acabamos por vibrar tão negativamente, que atraímos forças externas, os tais obsessores que tanto tememos. Eles passam a nos influenciar, mas quem está no comando, decidindo e permitindo essa influência, é o Ego, tudo começa e termina a partir dele. Quando se sente muito ameaçado pelo poder de nosso Eu Real, fazendo com que se sinta muito vulnerável, ele lança mão de "ajuda externa" e "pede socorro" aos obsessores de plantão ou dá permissão a obsessores "antigos" (por questões de outras vidas), para que passem a ajudá-lo a nos fazer entrar em grande desequilíbrio, pois dentro deste, nosso Eu Real fica totalmente impotente para nos ajudar a resgatar o equilibrio em que estávamos. Portanto, é o nosso Ego que nos atormenta, fazendo com que nos mantenhamos presos em pensamentos obsessivos, é ele quem nos faz criar as ilusões, os medos, criar dificuldades desnecessárias ou que não existem, tudo acontece dentro de nós e não fora.

Nenhum obsessor pode nos influenciar, sem que tenha permissão para isso. Nós temos nosso poder pessoal, que determina a interdição de qualquer influência externa. Mas quando abrimos mão desse poder e o entregamos ao Ego, aí sim ele nos entrega ao obsessor. Ele prefere nos ver em sofrimento, a ter que sofrer pela perda de poder.

Algumas vezes, isto nem ocorre, e não estamos influenciados por obsessores, mas como temos a crença nas forças sinistras que tentam nos atacar e como isso também nos ajuda a entrarmos num papel de "vítima de obsessores", como que nos eximindo de nossa culpa, acabamos por nos render a eles, apenas porque isso acaba se tornando mais cômodo. Sei que é difícil pensar que fazemos isso, pois isso nos parece algo insano, não conseguimos conceber a idéia que nós deixamos que obsessores nos influenciem só para que possamos nos livrar de nossa culpa, sendo que essa influência é tão destrutiva e assustadora. Mas infelizmente, esta é uma verdade.

Volto a reforçar que nem sempre estamos obsediados, o verdadeiro obsessor é o Ego, que nos atormenta com suas investidas e nos faz acreditar que estamos sendo vitimas de influências espirituais, para que desviemos o olhar que possamos ter sobre ele e, assim, possa se manter no poder, mesmo que o custo disso seja o nosso desequilíbrio. Quando estamos em equilibrio, nos contatamos mais facilmente com nosso Eu Real, assim, manter-nos em desequilíbrio é uma arma do Ego contra nossa liberdade.

Portanto, se nos sentirmos obsediados - independentemente de isto estar ocorrendo ou não -, o melhor passo que devemos dar, é no sentido de voltarmos o olhar para dentro de nós, para confrontarmos nosso Ego, como que a lhe dizer: eu sei o que você está tentando fazer, sei que somente você é o responsável por meu desequilíbrio. Eu ordeno que se entregue, de forma suave e confiante, aos cuidados de nosso Eu Real, para que Ele nos guie. Você está fazendo de nossa vida um inferno, todos os caminhos que trilhamos, guiados por você, só estão nos levando à destruição, fracasso, frustração, dor, medo e angústia. Renda-se, seja humilde e observe, nossa vida está em ruínas graças às suas investidas teimosas e obstinadas. Se já tentamos de tudo para modificarmos nossa realidade e a cada vez estamos ainda mais desequilibrados e infelizes, precisamos tentar trilhar novos caminhos, aceite, suas velhas trilhas nos levaram sempre a conquistar os mesmos resultados: dor e angústia. Não temos outra escolha a não ser experimentarmos entrar em uma atitude de entrega confiante e humilde ao nosso Eu Real. Está na hora de nos desapegarmos de nossas crenças limitantes, que nos fazem acreditar no mal e que nosso Eu Real é mau. Não, ele é o nosso maior e único bem divino e verdadeiro, somente Ele tem condições de nos levar conquistar nossos propósitos de vida, os quais foram planejados e determinados por ele, quando de nossa encarnação. Portanto, somente Ele contém toda a sabedoria, conhecimento, ferramentas, dons e todas as condições ideais para nos guiar. Sem Ele, somos apenas tristes seres arrogantes, medíocres e prepotentes, sempre nos prejudicando, enquanto ficamos na posição confortável e tranqüila de vitimas das circunstancias e, em alguns momentos, vitimas de obsessores. Somos nós que damos passagem a eles, portanto, somos nós que temos o poder de interditá-los, até mesmo com reverência, pois eles apenas se prestaram a um serviço que foi você mesmo, Ego teimoso, que contratou. Portanto, podemos nos libertar das influências desses seres, com gratidão e amor.

Ego, eu me liberto de sua influência negativa e me entrego ao meu Eu Real, e permito que Ele nos conduza, a partir de agora. Eu Sou a manifestação única e integral da vontade de meu Espírito Imortal, meu Eu Real. Somente Sou a partir de Suas verdades divinas e sábias. Que assim seja!

Texto de Teresa Cristina Pascotto


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Fico feliz com a sua companhia!
E fico mais feliz ainda quando você deixa um comentário!
Obrigada viu! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...